Aviso

Centro de Monitoramento do Pará contesta dados de instituto e verifica desmatamento 58% menor

A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará (Semas) qualificou os dados divulgados sobre desmatamento no Estado, trabalho realizado pelo Centro de Monitoramento do Pará (Cimam). A análise do Cimam abordou o Boletim Mensal de Alerta de Desmatamento do Sistema – SAD, do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), publicado em agosto e que aborda o desmatamento na Amazônia no mês de julho de 2018.

O Cimam aponta problemas nos dados publicados pelo SAD. Baseado nas imagens do De Olho na Floresta, cuja resolução é de três metros da área analisada, o Cimam concluiu que a área desmatada em julho de 2018 no Pará é de 121,58 km². O número é 58% menor do que o apontada pelo SAD, que indica uma área desmatada de 289 km².

 

Inconsistência

A análise do Centro de Monitoramento aponta que dos 1.613 polígonos (área de desmatamento) identificados no estado do Pará pelo SAD, 1.296 (80%) possuem problema. Desse número, 937 são anteriores a julho de 2018 (72,30%); 355 apresentam duplicidade – estão repetidas – (27,39); e 4 se referem a falsos positivos (0,31%). Os falsos positivos são quando não há desmatamento na área de Alerta.

Sobre os dados publicados de degradação florestal, a Semas solicitou ao Imazon a disponibilização dos arquivos geoespaciais, para proceder a sua análise. Os dados contendo essas informações não estão disponíveis para o público.

Quanto aos polígonos de Alertas do Desmatamento, a equipe técnica do Cimam segue realizando avaliação para determinar a extensão do desmatamento, assim como a data em que ocorreram.

A divulgação e utilização de informações inconsistentes compromete os trabalhos técnicos que vêm sendo desenvolvidos pelo Estado do Pará, por meio do Cimam, trazendo prejuízos ambientais já que os resultados publicados pelo SAD/Imazon, considera desmatada área considerada de floresta.

 

Divulgação

Esta contestação foi apresentada na reunião anual da Força Tarefa dos Governadores para Clima e Florestas, nos Estados Unidos, assim como foi difundida na 26ª Reunião do Comitê Gestor (Coges), envolvendo secretarias de meio ambiente do Pará. Por fim, também foi divulgada no Seminário sobre o Uso de Software Livre para a Geoinformação, promovido pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), de 17 a 19 de setembro, em Brasília.

No Coges, o secretário de Meio Ambiente de Água Azul do Norte, Sandro Novato comentou sobre a contestação dos dados. “Foi importantíssimo essa colocação da Semas. Nós íamos fazer uma validação dos dados apresentados e a gente via realmente que aquilo ali não condiz com o que está acontecendo”, garantiu.

 

Para acessar o documento na íntegra é só clicar no link abaixo: 

Nota Técnica

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará