Consórcio de Governadores da Amazônia da Legal discute desenvolvimento sustentável com embaixadores da Europa e dos EUA

15/04/2021 12h09 | Atualizado em 15/07/2021 16h20 Por ASCOM

Titular da Semas participa de encontro que debate parcerias em prol da atuação da região em prol da segurança climática do planeta

Embaixadores ressaltaram disposição em ajudar no desenvolvimento sustentável da Amazônia. Foto: Divulgação

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro O’de Almeida, participou da reunião virtual do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal com os embaixadores dos Estados Unidos, União Europeia, Reino Unido, Alemanha e Noruega, na noite desta quarta-feira (14). O encontro debateu visões de parceria para que a Amazônia contribua para a segurança climática do planeta.
O gestor da Semas justificou a ausência do governador Helder Barbalho, que estava cumprindo agenda oficial, em Brasília. Em seguida, o secretário falou sobre a importância da união das nações com os estados. “Importante reunião com os embaixadores, que deixaram claro quererem ajudar os estados da Amazônia brasileira. Sobretudo, a questão não se resume a uma questão financeira, mas de desenvolvimento regional”, avaliou Mauro.
“Temos interesse em comum para ver o desenvolvimento econômico na Amazônia, junto com a proteção e conservação do meio ambiente. O tema climático está como destaque na nossa politica, o presidente Joe Biden vai até a cúpula global sobre mudança climática, no dia 22 de abril, onde os lideres mundiais estarão presentes. Vamos tratar de encontrar novas maneiras de financiar os projetos e também do desenvolvimento social e econômico para a Amazônia”, ressaltou o embaixador norte-americano no Brasil, Todd Chapman.
O embaixador do país nórdico no Brasil, Nils Martin Gunneng, destacou que a última agenda diplomática para buscar parcerias na Amazônia foi com o Governo do Pará. “A última vez que nos vimos foi em Belém, alguns dias antes do vírus chegar ao Brasil. Nós sabemos os grandes esforços já feitos pelo país para a diminuição do desmatamento, e os estados da Amazônia são essenciais para a entrega desses resultados e alcançarmos nossos objetivos comum na área de clima e floresta. Nós precisamos tentar virar a página do desmatamento ilegal. Sei que alguns estados têm realizados esforços no combate, mas a mensagem de hoje é que ainda há tempo para mostrar resultados, nós queremos trabalhar diretamente com os estados”, reforçou o embaixador da Noruega.
Presidente do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, o governador do Maranhão, Flávio Dino, apresentou o Plano de Recuperação Verde (PVR) para a Amazônia, que tem como objetivo conter o aquecimento global, acabar com o desmatamento ilegal, alavancar o desenvolvimento econômico sustentável e melhorar a qualidade de vida de quilombolas, povos ribeirinhos e indígenas.
“A questão principal, em nível internacional, não é a obtenção de recursos financeiros apenas, mas sim, sobretudo, saber para onde esses recursos irão, ou seja, quais são as prioridades, valorizando a temática do desmatamento ilegal, que deve ser reduzido sim, porém, vinculando esse objetivo com a temática da geração de emprego e renda para os trinta milhões de brasileiros e brasileiras que moram na Amazônia brasileira”, explicou Dino.
A reunião foi composta por governadores e secretários dos nove estados da Amazônia Legal com embaixadores do Reino Unido, Peter Wilson; Alemanha, Heiko Toms; da Noruega, Nils Gunneng; União Europeia, Ignacio Ybáñez; e Estados Unidos, Todd Chapman, para discutir como os países do primeiro mundo podem ajudar na preservação da floresta amazônica.

Veja Também