» Embaixador da Bélgica visita Centro de Monitoramento Ambiental da Semas SEMAS | Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade

Embaixador da Bélgica visita Centro de Monitoramento Ambiental da Semas

   

   

Belém, 25/04/18 – A fim de estreitar as relações entre o Brasil e a Bélgica, o embaixador belga Dirck Loncke está visitando o Pará e, na manhã desta quarta-feira (25), conheceu o Centro de Monitoramento Ambiental (Cimam) da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) do Estado do Pará.

O embaixador veio acompanhado pelos adidos de Economia e Comércio das regiões de Flandres, Yves Lapère; Bruxelas, Stefano Di Lusignano e Valã, André Villers. Além deles, o ministro conselheiro Hendrik Roggen, a conselheira da região de Valã, Maria Laura Maron-Pot e a Coordenadora de Relações Internacionais do Governo do Pará, Larissa Chermont.

Durante a visita, na sala de reuniões do Cimam, técnicos apresentaram o funcionamento do sistema de alerta do desmatamento da Semas. O diretor de Tecnologia da Informação, Cássio Rodrigues, esclareceu detalhadamente a Agenda Verde do site da secretaria, a diretora de gestão florestal, Gabriela Rodrigues, expôs e explicou o funcionamento das guias florestais e Rodolfo Gadelha, gerente de monitoramento ambiental, elucidou a Lista do Desmatamento Ilegal (LDI) do Estado do Pará.

Dirck Loncke declarou-se satisfeito com o sistema e revelou estar impressionado com a sofisticação do trabalho de monitoramento do desmatamento. “Eu achei impressionante o trabalho de monitorar florestas por meio de um sistema tão aprimorado. Para a maioria de nós, é a primeira visita à Belém, e estamos muito honrados em ser recebidos imediatamente por esses excelentes servidores do governo. Nos disponibilizamos em hora integral para fazer uma coleta de informações e dados eficientes sobre os desafios e as perspectivas do Estado do Pará”, disse.

Transparência da Gestão Ambiental – Dialogando com a comunidade nacional e internacional, a Semas é um exemplo de compartilhamento de sua gestão de acordo com o Ministério Público Federal (MPF) que, no dia 5 de abril, divulgou o Ranking da Transparência Ambiental. Entre os estados da federação, o Pará lidera o levantamento feito com 104 órgãos federais e estaduais que avaliou o desempenho de instituições ambientais na publicação e acessibilidade de dados sobre atos administrativos, como planos de manejo vigentes e investimentos em ações e projetos. As ações que aproximam o cidadão paraense da administração pública colocam o Estado no topo da lista e incluem quatro instituições que atuam na política de gestão ambiental estadual, com destaque para a Semas e o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio).

Cimam – Em 2017, a Semas inaugurou o Centro Integrado de Monitoramento Ambiental (Cimam), ferramenta de gestão, transparência e controle ambiental. O Estado inaugurou a moderna estrutura, em março do ano passado, com o propósito de desenvolver novas metodologias para produção de conhecimentos na esfera ambiental, em tempo real. O Centro revê os modelos de produção, viabiliza a economia sustentável, preserva a legalidade, combate a pobreza e a desigualdade e apresenta soluções efetivas para a manutenção da maior reserva de biodiversidade do planeta, a Floresta Amazônica.

A base de dados do sistema conta também com a participação de outros órgãos estaduais, federais e municipais e ainda novas tecnologias, como o projeto “De Olho na Floresta”, sistema automatizado de monitoramento ambiental que faz acompanhamento e controle do desmatamento, utilizando imagens de satélite, uma plataforma de análise desde o licenciamento até o monitoramento ambiental, além de um exemplo de transparência, acessível a qualquer cidadão. É um sistema automatizado e desenvolvido com atenção voltada aos recursos florestais, com alertas de alterações detectadas.

A tecnologia utilizada no projeto é do sistema de satélites Planet, que fornece imagens de três metros de resolução, recebidas a cada 24h. Os dados gerados através dessas imagens dão subsídios para detectar crimes ambientais como desmatamento, auxiliando os técnicos no desenvolvimento do monitoramento de empreendimentos e de atividades potencialmente degradadoras, por meio de alertas e relatórios, para subsidiar a fiscalização ambiental in loco.

LDI – A Lista do Desmatamento Ilegal, criada a partir do Decreto Estadual nº 838/2013, é a ferramenta de consulta oficial do Estado do Pará. Gerida pela SEMAS para consulta pelos órgãos públicos estaduais e público em geral, o sistema visa combater o desmatamento ilegal realizado no território estadual, favorecer os produtores rurais que exercem suas atividades em conformidade com a legislação ambiental e colaborar com o compromisso assumido pelo governador Simão Jatene, durante a Rio+20 de atingir o desmatamento líquido zero até 2020.

Ascom Semas

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará