Proteção das Águas e Florestas é o foco de seminário promovido pela Semas

Belém, 27/3/18 – O VI Seminário Estadual de Águas e Florestas foi promovido pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) em comemoração aos dias mundiais da Floresta (21 de março) e das Águas (22). O evento ocorreu na terça-feira (27), no auditório do Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT), da Universidade Estadual do Pará (Uepa), para reflexão do público formado por técnicos ambientais e estudantes universitários, sobre a necessidade da proteção e preservação de recursos ambientais necessários à manutenção da vida no planeta.

O início da programação ocorreu na segunda-feira (26), com a realização de minicursos voltados para a Hidrologia Básica e à Outorga de Direitos de Usos de Recursos Hídricos. A Semas também iniciou, simultaneamente, uma campanha intitulada “Aguazônia”, com orientações didáticas e atuais, por meio das redes sociais, para o consumo consciente dos recursos hídricos.

No Seminário, a formação da mesa de abertura contou com a participação do secretário adjunto de Gestão de Recursos Hídricos, da Semas, Ronaldo Lima; do reitor da Uepa, Rubens Cardoso da Silva, e o diretor de Sociobiodiversidade do Instituto de Desenvolvimento Florestal e Biodiversidade (IdeflorBio), Crisomar Lobato.

“Temos que discutir cada vez mais a água e a floresta, que estão sempre interligadas” explicou Ronaldo Lima, que ainda enfatizou a importância de se manter a floresta em pé, a exemplo das matas ciliares, para evitar o assoreamento. Ele completou que “também não pode continuar a ser lançado esgoto sem tratamento nos rios e nos igarapés. Vamos melhorar o uso para melhorar a qualidade da água”.

O reitor esclareceu que os cursos de engenharias Ambiental, Florestal e de Produção, da instituição de ensino superior, estão atentos para os usos dos recursos hídricos. “Por causa da abundância na região costuma-se não dar o devido valor à água, mas precisamos unir esforços e fortalecer essa união com a Semas, para gerar conhecimento e distribuirmos à sociedade”, avaliou.

Palestra – Águas e Florestas: Diversidade de Usos e Desenvolvimento Socioambiental foi o tema da palestra do Geovanni Penner, da Universidade Federal do Pará. O professor destacou o abastecimento público, a geração de energia, produção de alimentos na agricultura – setor que mais usa água no Brasil. Ele ressaltou alguns pontos frágeis como a pequena participação social, a necessidade de definição de áreas de proteção, a criação de um Fundo Estadual de Recursos Hídricos e outras peculiaridades como instrumentos de gestão, ordenamento territorial, licenciamento ambiental e outorga.

Alunos de Engenharia Florestal da Uepa disseram que o seminário é positivo para a formação do corpo discente. Estudante do 4º ano da graduação, Tibison Rocha considera “importante essa atividade para capacitar os alunos do curso para o exercício  profissional, dentro da realidade do que está sendo estudado”. A universitária, do mesmo curso, Jeisiane Sousa, falou que “busca-se conhecimento nesse seminário com a temática interligada aos cursos de florestal e engenharia ambiental”.

Os participantes manifestaram preocupação com os desastres ocorridos no país e com a formação dos comitês de bacias para a preservação dos recursos hídricos. O aluno de Agronomia, do Instituto Federal (IFPA), Campus de Castanhal, Jean Gualdez, afirmou que apesar do assunto não estar na grade curricular do curso, o assunto está ligado à formação pretendida. “Essa discussão de águas e florestas é uma complementação ao currículo e ao aprendizado da legislação agrária e ambiental”, resumiu.

Painéis  Alunos das instituições de ensino apresentaram estudos em forma de painéis para os participantes: Análise dos possíveis impactos decorrentes do funcionamento do cemitério municipal do município de Portel, no Marajó, realizada pelo IFPA, Campus Belém; Avaliação econômica de um sistema agroflorestal no município de Santa Bárbara do Pará, do CCNT, da Uepa; e Florestas no Pará e os impactos socioambientais resultantes do seu manejo, por técnicos do IdeflorBio, foram alguns deles.

Mesas-redondas, debates e palestras acerca das águas e das florestas fizeram parte do encontro. A programação será encerrada na quarta-feira (28) com oficina de Gestão Comunitária das Águas, e cursos rápidos sobre Impactos do desflorestamento em bacias hidrográficas ministrado na Semas e Hidrologia Básica (prática), no Parque Estadual do Utinga.

Ascom Semas

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará
teste