Obras garantem novas perspectivas à comunidade do entorno do Parque do Utinga

Belém, 04/12/17 – Maria Barreiros, 63 anos, recentemente foi beneficiada com as obras de urbanização de sua rua, o que lhe garantiu melhor qualidade de vida. A dona de casa Celina Araujo, 64 anos, ganhou uma nova fonte de renda depois de participar dos cursos de compostagem orgânica, jardinagem e envasamento de plantas ornamentais, ofertados pelo projeto “Cultivando Flores e Vidas”. Dona Mônica Rodrigues, 52 anos, foi contemplada com o Cheque Moradia e finalmente está concluindo sua casa, localizada em frente a uma praça que também foi completamente urbanizada. Já o estudante Arlan de Paula, 12 anos, encontrou na oficina de percussão do Curro Velho a oportunidade de aprender um instrumento e até pensa em abraçar a carreira artística no futuro.

Todos eles são moradores do entorno do Parque Ambiental do Utinga (PEUt), área de Proteção Ambiental (APA) que recebeu um frente de obras executadas pelo governo do Estado, entregues oficialmente à população neste domingo (3). Quase 200 famílias que ali se fixaram de maneira totalmente desordenada, sem qualquer infraestrutura e com habitações erguidas em terreno alagado, hoje podem contar com saneamento, abastecimento de água, iluminação pública, espaços de lazer e moradias mais dignas.

A entrega das obras foi marcada por uma programação especial que contou com atrações culturais e com a presença do governador do Estado, Simão Jatene; do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, e do prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro. O projeto “Utinga: Viva o entorno” promoveu uma ação articulada entre diversas instituições estaduais e municipais, para assegurar o desenvolvimento sustentável e a inclusão social das famílias que vivem naquela área, incorporando-a ao Parque Estadual do Utinga. Além de uma qualidade de vida melhor, os moradores contam agora com novas oportunidades de geração de emprego e renda.

Transformação

“Quando eu cheguei aqui era uma lama só, era um igapó feio no meio do mato. Durante muito tempo a gente viveu aqui esquecido, porque governo nenhum olhava pra cá. Mas agora mudou totalmente com esse trabalho que foi feito”, comemorou Maria Barreiros, moradora da área há 24 anos e cuja casa está localizada na rua principal do Icuí, que foi toda urbanizada e também recebeu um trabalho de paisagismo.

“Agora eu posso dizer que  morando na cidade.  tudo muito bonito. Minha casinha ainda é de madeira, mas hoje eu moro em frente a uma praça linda, que eu vou fazer de tudo para manter sempre limpa. Se aparecer alguém sujando ou quebrando alguma coisa, vai ter que se haver comigo”, garante dona Mônica Rodrigues, que já recebeu a segunda parcela do Cheque Moradia para concluir as obras de sua residência, que logo estará de cara nova.

“Em três semanas fizemos os cursos e o Núcleo de Articulação e Cidadania continuou ajudando, com o apoio dos parceiros, na comercialização do que a gente colheu. Já fizemos várias vendas e agora temos uma horta, pra poder seguir com a produção”, comenta Celina Araujo que também levou as duas filhas para participar dos cursos ofertados por meio do projeto “Cultivando Flores e Vidas”.

“Desde o primeiro dia em que o pessoal do Curro Velho chegou aqui eu comecei a fazer as oficinas e achei maravilhoso o trabalho que eles têm lá para tirar as pessoas da rua e da criminalidade. Com a música eu posso expressar meus sentimentos e hoje todos nós aqui podemos expressar a nossa felicidade em ver como ficaram nossas casas e nossas ruas”, comenta Arlan, que junto com mais 75 jovens integrou as oficinas de percussão, circo e teatro da Fundação Curro Velho, além de terem participado diretamente da intervenção artística feita nas ruas do entorno do parque.

União de forças

Para o governador Simão Jatene, uma obra como esta carrega principalmente o valor de ter sido fruto de uma grande parceria entre governo do Estado, prefeitura e a própria comunidade. “Nós não tínhamos como inaugurar o Parque sem que houvesse uma intervenção na área. E o resultado é este que vocês estão vendo”, observou.

Para o governador, as obras são um exemplo claro de que a união triplica as forças para se chegar a um objetivo. “Não adianta pensar que governo e prefeitura irão resolver, sozinhos, todos os problemas. Tem que ser uma ação ampla, que também envolva a comunidade, e a daqui está disposta a construir isso”, parabenizou Jatene.

Zenaldo Coutinho, gestor da capital, destacou que a dedicação mostrada pelos servidores públicos estaduais e municipais, juntamente com a população do Curió-Utinga, é um exemplo a ser multiplicado em Belém para que se possa ver também a realidade de outras comunidades transformada. “Os recursos aqui investidos representam uma mudança radical na vida das pessoas”, comentou o prefeito.

A Prefeitura de Belém entrou na parceria com investimentos e com ações de zeladoria como roçagem, capinação, retirada de lixo e entulho e dragagem de canais, além de instalação da iluminação pública e construção de academias ao ar livre.

Ação integrada

O projeto “Utinga: Viva o entorno” envolveu órgãos como a Companhia de Habitação do Pará (Cohab), Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), Fundação Cultural do Pará (FCP), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater), Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa), Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio), Núcleo de Gerenciamento de Microcrédito (CredCidadão), Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Casa Civil e as secretarias estaduais de Administração (Sead), Obras (Sedop), Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster).

As obras começaram a ser executadas em maio deste ano e incluíram serviços de abastecimento de água, rede de esgoto, pavimentação de vias, iluminação pública, drenagem, pintura das fachadas das casas, identificação de vias por meio de placas, instalação de praças, passarelas, aparelhos da academia ao ar livre, brinquedos, lixeiras e uma quadra poliesportiva, além da desobstrução do igarapé Murutucu, que vai facilitar o escoamento das águas pluviais da Avenida João Paulo II. A comunidade contou, ainda, com o auxílio do Cheque Moradia para construção e reforma das residências, o benefício do CredCidadão e a oferta de cursos de qualificação profissional.

A Sedop foi a responsável pelas obras de infraestrutura e urbanização da área do entorno do Parque do Utinga. Dentre as melhorias garantidas estão os serviços de saneamento, pavimentação e drenagem de águas pluviais das ruas Arara, Pantanal, Ceará, Buiussuquara e Cruzeiro.

Juntamente com o asfalto e a urbanização, a comunidade ganhou um espaço público de lazer, com a construção de uma praça que foi arborizada com palmeiras. O novo espaço, implantado ao custo de R$ 656 mil, também contará com uma academia ao ar livre, brinquedos infantis, dois quiosques e dois decks.

O Núcleo de Gerenciamento de Microcrédito (CredCidadão) beneficiou 39 moradores do entorno do PEUt com linhas de crédito para investimento em pequenos empreendimentos, que somam R$ 114.000,00, para garantir a geração de renda dessas famílias.

Foram distribuídos 138 Cheques Moradia, totalizando um investimento de mais de R$ 1 milhão. Além disso, a Cohab já deu início às ações do Projeto de Regularização Fundiária, com previsão de conclusão até o final do primeiro semestre de 2018.

Sustentabilidade

Sead, Casa Civil e Cohab também uniram forças para a execução de um projeto de paisagismo das áreas livres, urbanização das praças, limpeza e dragagem do igarapé Murutucu, pintura das fachadas das casas e aquisição de bicicletas para utilização na coleta de lixo, já que será proibido o tráfego de veículos pesados na área. Elas serão utilizadas para o recolhimento dos resíduos domiciliares e transporte até os caminhões coletores.

Coordenado pelo NAC, em parceria com o Instituto Manguezal, o projeto Utinga Sustentável foi iniciado em agosto deste ano e já reduziu o despejo irregular de resíduos nas vias. A ação prevê a implantação de pontos de coleta de material reciclável no entorno do PEUt, capacitação e acompanhamento de catadores empreendedores que serão responsáveis pela Rota de Reciclagem. Os pontos de coleta serão criados em estabelecimentos comerciais, centros comunitários e escolas.

Atualmente, o projeto conta com a participação de 12 catadores que atuam ativamente na coleta seletiva no entorno do Parque. A rota da reciclagem deverá ser definida e implantada até o final do ano. O curso de “Técnicas e Gestão de Resíduos Sólidos” foi realizado por meio do Programa Pará Profissional, ofertado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). O fardamento e os equipamentos necessários para a coleta foram entregues pelo governador Simão Jatene aos catadores na manha deste domingo.

Emprego e renda

O projeto “Cultivando Flores e Vidas”, desenvolvido pelo NAC em conjunto com a Emater e a Ceasa, garante a capacitação de pessoas em situação de vulnerabilidade, por meio de cursos e palestras sobre compostagem orgânica, jardinagem e envasamento de plantas ornamentais, além da participação em feiras e exposições, favorecendo a criatividade, novas relações de mercado e produção, noções de cooperação, empreendedorismo, planejamento e gestão de pequenos negócios.

A Fundação Cultural do Pará promoveu oficinas de teatro e música para crianças e jovens da comunidade, além da pintura de murais com temas amazônicos. Ao todo mais de 70 pessoas da comunidade do entorno do Parque do Utinga foram beneficiadas com as oficinas de música, teatro, desenho e pintura.

Agência Pará

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará