Centro de Monitoramento recebe visita do embaixador da Noruega

Belém, 01/11/17 – “Se a intenção era impressionar, vocês conseguiram. Acredito que há uma vontade genuína de combater o desmatamento. É impressionante o quanto as ferramentas trazem uma resolução de imagem e o quanto isso habilita a todos, para transformar e de forma imediata”. As palavras foram ditas pelo novo embaixador da Noruega no Brasil, Nils Martin Gunneng, que visitou o Centro Integrado de Monitoramento Ambiental (Cimam), da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), na terça-feira, 31.

A comitiva norueguesa foi recepcionada pelo secretário Luiz Fernandes Rocha. Participaram da programação o secretário do Programa Municípios Verdes, Justiniano Netto, o secretário adjunto de Gestão e Regularidade Ambiental, Thales Belo, além de diretores e coordenadores da Semas.

O embaixador conheceu as instalações do Cimam e debateu sobre as ferramentas de gestão, transparência e monitoramento ambiental. Thales Belo detalhou o trabalho desenvolvido, tendo como objetivo uma nova forma de governança. “O Cimam vincula tecnologia com ferramentas de gestão, transparência e produção de conhecimentos”, ressaltou.

A estrutura fornece dados que contribuem com as agendas verde (gestão de floresta), marrom (vinculado a indústrias e empreendimentos), azul (foco na parte de recursos hídricos) e cinza (agenda do clima). Também foram abordados assuntos relativos a Cadastro Ambiental Rural, Sisflora (Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais), Ceprof (Sistema de Cadastro de Consumidores de Produtos Florestais), Simples Ambiental e o De Olho na Floresta, que é uma plataforma de análise que auxilia desde o processo de licenciamento até o monitoramento ambiental.

Luiz Fernandes ponderou que a transparência é uma marca da gestão da área ambiental do Pará, daí, o trabalho para disponibilizar os dados na web e via mobile para consulta pública, por meio do Portal da Transparência.

O secretário do PMV, Justiniano Netto, acrescentou que a gestão ambiental do Pará visa promover o ordenamento e fortalecer a gestão municipal. “É o combate ao desmatamento por outra ótica. É o produzir sem desmatar”, disse.

Para Nils Martin Gunneng, o trabalho desenvolvido é um fator decisivo para a administração correta dos recursos naturais.

Dados – A visita do embaixador, que fez parte da agenda preparada pela Coordenadoria de Relações Internacionais do Pará (Cori) com atividades para apresentar as novas oportunidades de investimento no Estado na área ambiental, ocorre após informações divulgadas pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), que apontam que o desmatamento na Floresta Amazônica apresentou uma estimativa de queda de 16% entre agosto de 2016 e julho deste ano.

Os números são do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). No estado do Pará, a redução foi de 19% da taxa de desmatamento da floresta amazônica.

Em agosto deste ano, a tendência de redução do desmatamento já havia sido confirmada por outra instituição, o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Nesse estudo, o desmatamento na Amazônia Legal caiu 21% em um ano e o Pará apresentou queda tanto no número absoluto de quilômetros quadrados desmatados, de 31%, quanto na proporção total da Amazônia Legal afetada, que passou de 28,8% para 25,2%.

Ascom Semas

 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará