Fiscalização flagra e apreende madeira ilegal em Jacundá

whatsapp-image-2017-03-14-at-14-12-05whatsapp-image-2017-03-14-at-14-12-10whatsapp-image-2017-03-14-at-14-12-08

Belém, 14/3/17 – Equipes de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), juntamente com o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) e Polícia Civil do município Goianésia do Pará, na região do Lago de Tucuruí, apreenderam sete caminhões carregados de madeira vermelha e de outras espécies, em Jacundá, na mesma região. Os principais ilícitos encontrados envolvem cargas sem documentação, com apresentação de notas fiscais frias, guias florestais falsas e ainda Declaração de Corte e Colheira (DCC), para acobertar a transação ilegal para madeiras nativas.

A operação aconteceu no último final de semana e continua em todo o Pará. O material retido vai para doação e leilão. Já a destinação dos caminhões será decidida por parecer jurídico da instituição. A ação dos fiscais envolve profissionais da fiscalização, da Inteligência da Semas, que em trabalho interinstitucional, localizou os criminosos e impediu que a carga ilegal chegasse ao nordeste do país, destino final das espécies que estavam sendo transportadas.

O volume de madeira explorada ilegalmente de 237,83 m³ está apreendida – maçaranduba, muiracatiara, freijó, angelim e outras. Os motoristas flagrados foram conduzidos para a delegacia de Jacundá e estão respondendo pelos crimes ambientais cometidos.

Jorge Antônio Dias, diretor de Fiscalização da Semas, disse que está sendo dado atenção a uma nova linha de investigação que abrange a Declaração de Corte e Colheita (DCC). “Estamos combatendo a ilegalidade, além das Guias Florestais, onde a DCC está sendo utilizada como nova modalidade para o transporte ilícito de madeira nativa”, afirma.

Ascom Semas
Fotos: Diretoria de Fiscalização

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará