Mais de 30 mil hectares são transformados em Unidades de Conservação no Pará  

Belém, 13/07/16 – As belezas naturais do Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Tabuleiro do Embaubal e Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel, localizadas no município de Senador José Porfírio, e a Revis Padre Sérgio Tonetto e RDS Campo das Mangabas, localizadas no município de Maracanã, se tornaram oficialmente Unidades de Conservação (UCs) durante o mês de junho.

De acordo com os decretos de nº 1.566 e 1.567, a administração das quatro novas unidades cabem ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará (Ideflor-bio), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

A criação das áreas tem como objetivo garantir a proteção dos recursos ambientais e sócio-culturais existentes na área; assegurar a integridade e manutenção do equilíbrio ecológico; promover, junto com as comunidades locais, a proteção das espécies existentes e preservação de locais de reprodução de espécies de fauna ou flora e ecossistemas de rara ocorrência no estado; propõe a melhoria da qualidade de vida da população local através do desenvolvimento sustentável; incentivar a realização de pesquisas e estudos científicos sobre o meio ambiente; entre outros.

Biodiversidade – A RDS Vitória de Souzel possui uma área de 22.956,88 hectares e a Revis Tabuleiro do Embaubal conta com 4.033,94 de extensão, ambas localizadas próximas ao Rio Xingu. Já a Revis Padre Sérgio Tonetto possui uma área de 339,28 hectares e a RDS Campo das Mangabas tem 7.062,02 hectares de extensão, ambas localizadas no município de Maracanã. Juntas, todas essas novas áreas de proteção somam 34.392,12 hectares do Pará, ou o equivalente a 34,4 mil campos de futebol.

A proposta de criação levou em consideração a grande beleza das regiões, que possuem ecossistemas de praia, várzea e igapó, exibindo uma rica diversidade biológica com presença de espécies ameaçadas de extinção, migratórias e endêmicas. Nas unidades poderão ser desenvolvidas atividades de visitação e educação ambiental, bem como a exploração de componentes dos ecossistemas naturais em regime de manejo sustentável, conforme dispuser o Plano de Manejo das áreas.

Para se enquadrar na categoria de “Refúgio de Vida Silvestre” é recomendada que a área seja destinada à proteção da biodiversidade encontrada na região e tenha espécies que tenham ameaçado o seu sítio de reprodução. Já a “Reserva de Desenvolvimento Sustentável”, reúne as ilhas do rio Xingu, assim como parte da comunidade que vive à beira do rio e desenvolvem a pesca como principal atividade econômica.

A transformação dos mais de 30 mil hectares em Unidades de Conservação reforça o compromisso do Governo do Pará em promover a preservação e conservação do meio ambiente. Apesar de administrados pelo Ideflor-bio, a criação das UCs e o fortalecimento do controle e gestão da região tem apoio da Semas, cujo objetivo é intensificar as atividades de fiscalização, coibindo desmatamentos ilegais, fomentar a visitação pública, garantindo o aproveitamento dos potenciais turísticos, recreativos, educacionais e científicos das UCs estaduais e incentivar atividades de educação ambiental para as comunidades locais.

Ascom Semas, com informações do Ideflor-bio.

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará