Carnaval de 2016 terá tempo nublado e pouca chuva em todo o Estado

premar

Belém, 05/02/16 – No Carnaval de 2016, a chuva não vai atrapalhar os brincantes em todo o Estado do Pará. É o que prevê a Diretoria de Hidrologia e Meteorologia da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). Nas regiões onde haverá chuvas, elas serão contínuas, porém, finas. A diferença é no Oeste do Estado, em Santarém, Itaituba, Alenquer e Óbidos, onde a ocorrência de chuvas é menor, podendo até não ocorrer.

De acordo com o meteorologista da Semas, Saulo Carvalho, durante os festejos do Carnaval, que começam nesta sexta-feira, 5, e se estende até terça-feira, 9, cada dia começará com sol entre nuvens, mas vai evoluindo com o tempo nublado e coberto, a partir da tarde, com possibilidade de chuva na capital paraense, Região Metropolitana de Belém (RMB), e outros municípios como São Caetano de Odivelas, Vigia, Salinopólis e os do Marajó,

“Na região litorânea, o dia inicia ensolarado e evolui para tempo nublado, com possibilidade de chuva, porém, as chuvas vão se concentrar mais na região nordeste, na região metropolitana, sul e sudeste”, detalha o meteorologista.

Na região sudeste, que abrange Marabá, Conceição do Araguaia e São Félix do Xingu, o dia vai começar com tempo nublado por causa da nebulosidade predominante. “Espera-se que haja ocorrência de chuva no final da tarde e início da noite. É o tipo de chuva de caráter contínuo, mas leve”, explica Saulo.

Já no oeste do Estado, região onde não chove muito, os dias vão começar com tempo parcialmente nublado a nublado, com possibilidade muito baixa de ocorrências de chuvas. Nos municípios dessa região, o que pode ocorrer são pancadas isoladas. De modo geral, a previsão é de que o tempo será nublado em todo Estado. Sol no período da manhã, entre nuvens, e chuvas finas à tarde e noite.

Maré – Nas regiões oeste e sudeste, o meteorologista esclarece que a influência da maré é muito pouca, diferente do que acontece em Belém, Mosqueiro e Salinas, onde é mais significativa a questão de subida e descida de marés.

Ele explica ainda que no rio Tocantins, na cidade de Marabá, por exemplo, houve uma subida de cerca de quatro metros nos últimos oito dias, mas as observações mostram que os níveis estão diminuindo com uma tendência de descida dentro desse período do carnaval. A chance de que esse nível atinja a cota de alerta no município é pequena dentro do período carnavalesco. Por outro lado, em Altamira, os níveis do Xingu já atingiram a cota de alerta e a tendência é que persista nesses níveis, nas próximas duas semanas.

Balneabilidade– A Semas, em parceria com o Laboratório Central do Estado (Lacen), iniciou em 2016 campanha de monitoramento da balneabilidade no Estado. Para o carnaval, foram feitas avaliações sobre a balneabilidade da água nas praias dos distritos de Mosqueiro e Outeiro, em Belém e nos municípios de Salinópolis e Marapanim. Foram coletadas amostras da água para saber se as praias estavam adequadas para o banho, conforme resolução 274/200 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), que estabelece os critérios de balneabilidade.

Segundo as análises, os resultados microbiológicos indicam que a qualidade da água das praias encontram-se em conformidade.

MOSQUEIRO
PRAIA DE MARAHÚ em conformidade com a resolução n.274
PRAIA DO ARIRAMBA em conformidade com a resolução n.274
PRAIA DO MURUBIRA em conformidade com a resolução n.274
CHAPEÚ VIRADO em conformidade com a resolução n.274
PRAIA GRANDE em conformidade com a resolução n.274
OUTEIRO
DO AMOR em conformidade com a resolução n.274
GRANDE em conformidade com a resolução n.274
BRASÍLIA em conformidade com a resolução n.274
SALINAS
ATALAIA em conformidade com a resolução n.274
FAROL VELHO em conformidade com a resolução n.274
CORVINA em conformidade com a resolução n.274
MARAPANIM
MARUDÁ em conformidade com a resolução n.274
CRISPIM em conformidade com a resolução n.274

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará