Aumento de temperatura e a diminuição das chuvas aquecem o clima em Belém

Belém, 03/9/15 – A capital paraense, entre janeiro e julho de 2015, esteve mais quente e com redução nas chuvas, em relação ao registrado no mesmo período de 2014. A partir de dados obtidos das estações climáticas do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a Diretoria de Meteorologia e Hidrologia da Semas organizou essas e outras informações relacionadas com o clima de Belém e as analisou juntamente com o Núcleo de Monitoramento e Fiscalização da Semas.

A conclusão observada é que de janeiro a julho de 2015, a capital paraense apresentou elevação na média das temperaturas máximas e teve diminuição nos totais mensais de chuvas, em relação ao período entre janeiro e julho de 2014. Os estudos ressaltam que a variação chegou a ser de até 1,3 graus Celsius (ºC), como por exemplo, os meses de fevereiro de 2014 e 2015, que apresentaram temperaturas máximas médias de 31,0ºC e 32,3°C respectivamente. No período total – de janeiro a julho – a diferença entre as médias das temperaturas máximas foi de 0,7°C – 2014: 31,8°C e em 2015: 32,5°C.

Na precipitação pluviométrica houve redução de 223,9 milímetros (mm) em Belém, nesse mesmo período. De janeiro a julho de 2014 foi registrado um total de 2.995,1mm, enquanto que em 2015 foi medido 2.771,2 mm, o que representa uma redução de 7,47% das chuvas no período analisado. Vale ressaltar que cada milímetro representa um litro de água em cada metro quadrado da área atingida pela chuva..

Na avaliação do meteorologista Antonio Sousa, diretor de Meteorologia e Hidrologia da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), as variações ocorridas nas chuvas e principalmente nas temperaturas em Belém, no ano de 2015, são resultados do fenômeno climático El-Niño – fenômeno natural que causa o aumento anormal das temperaturas superficiais das águas do oceano Pacífico. Sempre que El-Niño ocorre, a tendência é de redução nos totais mensais de precipitação (chuva) e aumento das temperaturas em grande parte da região amazônica, em função de mudanças na circulação dos ventos em várias regiões do globo. “O aumento nas temperaturas superficiais do oceano Pacífico, já vem ocorrendo desde meados do segundo semestre de 2014 e já é possível perceber os efeitos dessas variações com mais nitidez”, avalia o diretor.

O clima esquentou em Belém. No comparativo das temperaturas ocorridas entre janeiro e julho nos anos de 2014 e 2015, em relação às normais climatológicas, que representa a média ocorrida na capital paraense entre os anos de 1961 e 1990, usada como tabela padrão comparativa, o mês com menor temperatura mínima média é julho, com 21,7°C e a máxima nos meses de junho e julho, ambos com 31,7°C. Em Belém, tanto no ano de 2015 como 2014, Junho e julho apresentaram temperaturas máximas médias oscilando entre 32,6ºC a 33,0ºC, ou seja, até 1,3ºC acima da média registrada no período entre 1961 a 1990.

“Em relação às temperaturas, vale ressaltar que além do estabelecimento do fenômeno climático El-Niño, não podemos descartar a influência da urbanização na Região Metropolitana de Belém, a chamada “efeito ilha de calor” que contribui para a elevação da temperatura nos centros urbanos. O crescente aumento das edificações e a substituição da cobertura natural por concreto e asfalto provocam redução na evapotranspiração – eficiente no resfriamento da superfície -, sobrando mais calor para aquecer o ar, aumentando assim a temperatura próxima da superfície”, avalia o meteorologista depois da análise das informações e dos dados observados entre os meses de janeiro a julho de 2014 e de 2015.

Ascom Sema

 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará