Sobrevoo subsidia monitoramento ambiental da Semas sobre grandes projetos em Barcarena

Belém (17/05/15) – Um sobrevoo na região de Barcarena, na última sexta-feiira, 15, deu início às ações preliminares para o monitoramento ambiental que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) fará para melhor compreensão da relação entre as empresas instaladas e a rotina das populações que vivem no entorno desses empreendimentos. Para garantir a coleta de imagens do complexo industrial a Semas contou com o suporte do helicóptero e dos equipamentos da Secretaria de Segurança Pública (Segup).

O sobrevoo foi companhado pelo titular da Semas, Luiz Fernandes Rocha, e pelos secretários adjuntos de Gestão de Recursos Hídricos, Ronaldo Lima, e de Regularidade Ambiental, Thales Belo, além de técnicos da Diretoria de Licenciamento de Atividades Potencialmente Poluidoras lotados nas Gerências de Análises de Projetos Industriais, Márcio Newber; Indústria, Bianca Cabral; Minerários e de Infraestrutura, Ivan Araújo.

Os técnicos da Semas consideram que a região do Distrito Industrial de Barcarena é uma área de grande potencial para o desenvolvimento econômico do Estado, por conta de suas características locacionais e também pelo fator ambiental, que envolve tanto as comunidades que vivem no entorno desses empreendimentos como os biomas existentes.

A intenção da Semas é entender como funciona a relação econômica e social entre as partes e, principalmente, criar estratégias para que o desenvolvimento econômico caminhe junto com a qualidade de vida da população local.

Segundo o secretário adjunto da Semas, Ronaldo Lima, o levantamento é a forma mais consistente de analisar todo o desenvolvimento da região. “Você tem os projetos e as comunidades, a busca do entendimento desse convívio, possibilitado por uma visão macro que vai servir de base para que a Semas discuta uma estratégia de ação e de monitoramento para região, e principalmente, estudar formas de estabelecer indicadores de resultados para o desenvolvimento dos programas sociais e ambientais implementados pelas empresas ali instaladas”, avalia.

A Semas, por meio do Instrumento de Monitoramento Ambiental, pretende aumentar a eficiência da fiscalização e do controle ambiental nas áreas que serão monitoradas. Em Barcarena, por exemplo, foi possível observar o local destinado às instalações da empresa CAP, hoje paralisadas; o complexo industrial das empresas Hydro – incluindo a central de destinação de resíduos e o porto – e também da Imerys Indústria, que teve o porto e bacias de rejeito vistoriados. Foram observados, ainda, os portos e projetos da Companhia das Docas do Pará (CDP) e da ADM, que trabalha com exportação de grãos.

A vistoria se estendeu às centrais de transbordo de grãos da Bunge, Hidrovias do Brasil e outras empresas instaladas no complexo como a Tecop, Atlântica Matapi (em operação), Buritirama e Usipar (em fase de instalação). Brevemente, a Odebrecht vai instalar uma central de transbordo flutuante, que ficará alocada no rio, próximo ao município de Abaetetuba, diferente dos padrões de portos onshore que existem hoje. O novo projeto também foi objeto da inspeção.

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará, Luiz Fernandes, enfatiza que “O monitoramento ambiental é a ferramenta ideal para trabalhar, da melhor forma, com o meio ambiente e com as comunidades destas áreas”.

Monitoramento – O Monitoramento é um importante instrumento de controle ambiental, considerando-se que a partir dele é possível avaliar todos os impactos e, a partir disso, desenvolver estratégias que melhorem a vida das comunidades próximas aos empreendimentos.

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará