Estado do Pará reaproveita um milhão de toneladas de sucata para produção de aço

Belém (04/07/14) – A partir deste semestre, o Estado do Pará passa a ampliar sua produção de aço, o que pode torná-lo o 5ª maior produtor do país. Essa ampliação é resultado das duas Licenças de Instalação (LI) concedidas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) do Pará à empresa Siderúrgica Norte Brasil S.A (Sinobrás), que autorizam a ampliação do Parque Industrial para produção de aço laminado e trefilado; e de tarugos de aço. A produção desse material nobre vai ser feita a partir do reaproveitamento de cerca de um milhão de toneladas de sucatas por ano. Atualmente, o Pará ocupa a 7ª posição dessa produção, atrás de estados como Minas Gerais e Rio de Janeiro. A 6ª colocação é do Paraná, que em 2013, produziu cerca de 328 mil toneladas de aço bruto, e o Pará, no mesmo período, 314 mil toneladas, segundo dados do Instituto Aço Brasil.

Com essa ampliação, a produção no Pará, de aço laminado e trefilado, passará a ser de 900 mil toneladas por ano (antes, a capacidade era de 400 mil toneladas) e 250 mil toneladas por ano de aço trefilado (antes, 180 mil). Para tarugos de aço, a produção passará a ser de 800 mil toneladas/ano (antes, cerca de 365 mil toneladas).

A expansão da produção de aço no Estado acarreta benefícios como ampliação de indústrias metal mecânica, de serviços de apoio industrial, maior produção de material para construção civil, e dois dos mais importantes que é a geração de emprego e destinação sustentável de lixo (sucata), conforme descreve o titular da Sema, José Alberto Colares. “Com essa capacidade ampliada, a empresa deve recolher de resíduos em torno de um milhão de toneladas de sucata por ano, ou seja, que não são aproveitados, e agora será reaproveitado pra fabricação de uma matéria nobre que é o aço. Será aproveitada em 100%, porque desse um milhão, 80% vai se constituir em aço e os 20% será reaproveitamento dos rejeitos, estéreis, para pavimentação. É um projeto devidamente sustentável, que também vai gerar mais de mil empregos no município e arredores, fora os indiretos com relação aos coletadores, fornecedores dessa atividade. Então, gera uma quantidade enorme de empregos, limpa a natureza desses resíduos, reaproveita o lixo e cria uma economia no Estado, podendo tornar o Pará a quinta maior produtora de aço do Brasil”, vislumbra Colares.

A produção brasileira de aço bruto em maio de 2014 foi de 2,9 milhões de toneladas. Em relação aos laminados, a produção de maio, de 2,1 milhões de toneladas. Com esses resultados, a produção acumulada em 2014 totalizou 14 milhões de toneladas de aço bruto e 10,5 milhões de toneladas de laminados, de acordo com dados do Aço Brasil.

Como é a produção de aço – a empresa produz aço por meio de Aciaria Elétrica, que é fundamentada no uso do ferro-gusa, associada à sucata de ferro e aço. A utilização de sucata de ferro e aço desenvolve a reciclagem, a indústria de coleta e o processamento de sucata na região. O trabalho funciona em quatro etapas integradas, sendo a primeira a de Redução, realizada em Alto-Forno, onde o produto gerado é o ferro-gusa. De forma ainda líquida, o ferro-gusa é levado para Aciaria, evitando desperdício de energia. Na segunda etapa, ocorre o Refino, realizado na Aciaria, com temperatura de até 1.700°C. Nesta unidade da usina são fabricados os tarugos de aço.

Na terceira, vem a Laminação, quando é transformado o tarugo de aço, aquecido a acima de 1.100ºC, em produtos siderúrgicos prontos para a utilização (vergalhão e barra mecânica) ou destinados ao processamento posterior (fio-máquina). Na Laminação, os equipamentos e a linha de produtos permitem o enfornamento ainda quente dos tarugos de aço produzidos na Aciaria. A última é a fase da Trefila, que utiliza o fio-máquina como matéria-prima. Deformado a frio, os resultados são arames industriais, arames para construção civil e arames recozidos.

Ascom Sema

(91) 3184-3341

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará