Piscicultura em áreas degradadas está sendo projetada para o nordeste do Pará

Foto site 2 Foto site

Belém, 28/3/14 – Uma reunião entre o secretário de Meio Ambiente do Pará, José Alberto da Silva Colares, e representantes dos municípios de São Miguel do Guamá e de Ourém, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e do Programa Pará Rural, na quinta-feira 27, discutiu projeto de piscicultura em áreas degradadas dos municípios do nordeste por exploração de minerais utilizados na construção civil – seixo, areia, argila e brita – e aproveitamento e transformação desses locais explorados em ambientes sustentáveis para criação e reprodução de peixes.

Durante a reunião, os integrantes das secretarias municipais de Agricultura e de Meio Ambiente de São Miguel do Guamá, da Associação Guamaense de Agropecuária, Pesca e Aquicultura e demais presentes foram informados pelo titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) que será publicada uma Instrução Normativa (IN) sobre o licenciamento das atividades de lavra e beneficiamento de substâncias minerais, que prevê a utilização dessas áreas degradadas com atividades produtivas, entre elas a piscicultura.

Junior Lira, vereador de São Miguel do Guamá, disse que houve um grande avanço sobre as florestas na extração de lenha e na queima de tijolos nas cerâmicas, e que o Projeto Tijolo Verde vem para resolver esses problemas, por exemplo, com reposição florestal para correção da degradação causada pela atividade.  

O vereador ressaltou que o município já está com o processo avançado para conseguir sua habilitação ambiental municipal junto à Sema, para que a Secretaria de Meio Ambiente do município possa ter autonomia para resolver questões ambientais locais. “Estabelecemos como meta receber a habilitação. O município já está com todos os documentos prontos e após a finalização do processo, a Semma poderá assumir competências ambientais”, disse.

Henrique Sawaki, representante da Emater, afirma que com a transformação dessas áreas os empresários podem investir na produção. “Daremos continuidade no projeto que está sendo feito e veremos qual o benefício que podemos trazer para essas áreas, não apenas para o município, como também para os empresários, que poderiam investir nas áreas reaproveitadas”, avalia.

Segundo os técnicos que elaboram o projeto, essa discussão envolve todo o Estado e nesse momento a ênfase está sendo dada aos municípios do nordeste do Pará, onde a atividade de exploração mineral é muito intensa. O projeto piloto está sendo elaborado pela Emater, em parceria com a prefeitura de São Miguel do Guamá, Programa Pará Rural e Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura. Inicialmente direcionado para o município de São Miguel do Guamá, vai abranger também os municípios de Ourém, Irituia e Capitão Poço.

Ascom Sema

(91) 3184 3341

 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará