Sema inicia avaliação socioambiental em unidades de conservação do Pará

Belém, 13/5/13 – A aplicação piloto do Sistema de Indicadores Socioambientais para Unidades de Conservação (Sisuc) começou pelo município de Santarém, oeste do Pará, na segunda-feira, 13. A aplicação está sendo feita nos Conselhos Gestores das Florestas Estaduais (Flotas) de Faro, Paru e Trombetas. Os resultados obtidos servirão de base para as ações que serão desenvolvidas para garantir, nos próximos anos, melhorias nas 21 Unidades de Conservação estaduais no Pará, gerenciadas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

Na fase anterior, o grupo de consultores Natureza Sociedade e Conservação (NSC) ministrou 48 horas de treinamento para capacitação teórica e prática dos gestores das Unidades de Conservação e técnicos de instituições parceiras na utilização do Sisuc, no início de maio, em Belém. A equipe capacitada está em Santarém no trabalho de aplicação piloto.

A partir da utilização do Sisuc será possível uma avaliação socioambiental da unidade de conservação, com resultados imediatos, possibilitando a elaboração de um plano e o monitoramento do desempenho das ações estabelecidas. “A ferramenta possibilitará uma gradativa substituição de uma pauta de manejo remediativa e emergencial por uma pauta mais estratégica e objetiva nas unidades”, explica Carlos Eduardo Marinelli, consultor da NSC.

Entre os objetivos do Sisuc está o fortalecimento da atuação dos conselhos gestores, ampliação do controle socioambiental dentro da Unidades de Conservação e a gestão participativa. Abordagens socioculturais, de gestão, economia e meio ambiente são temas necessários para a gestão socioambiental das unidades, que serão aplicados em questionários entre os conselheiros das unidades, para que seja traçado o perfil de cada uma delas.

O coordenador de políticas ambientais da organização não governamental Conservação Internacional, César Haag, considera que a aplicação da ferramenta é importante para a comunidade envolvida nas unidades de conservação, gerando benefícios como um todo. “A ferramenta permite mensurar e dar uma visão geral da unidade, direcionando as ações e ajuda os conselhos sobre temas importantes e procedimentos de acompanhamento da gestão, amadurecendo o colegiado frente a atualização participativa”, avalia Haag.

Segundo Joanísio Mesquita, gerente das Flotas da Calha Norte, o Sisuc é a oportunidade de ter o conselheiro como protagonista no planejamento das ações dentro da Unidade de Conservação. “Através da ferramenta, o conselheiro sai da figura de espectador e passa a orientar a gestão a partir da demanda apontada por ele, oferecendo aos conselhos o monitoramento das ações do gestor, fazendo com que eles percebam um fluxo continuado das ações realizadas”, explica.

Ascom Sema

(91) 3184 3341

 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará