Peut é palco da 1º campanha de doação de sangue

Belém (18/04/13) – Doar sangue é um ato de solidariedade e não custa nada a quem doa. Esta foi a mensagem que a equipe da Gerência de Treinamento e Desenvolvimento (GTD) da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) passou aos servidores, durante os dois meses de mobilização interna, que culminou na 1ª Campanha de Doação de Sangue do órgão, que aconteceu nesta quarta-feira, 17, no auditório da Diretoria de Áreas Protegidas (Diap).

A campanha teve grande adesão no órgão e incentivou o servidor Josué Marinho a realizar a sua primeira doação. “Eu já tinha interesse em doar, mas nunca tive a oportunidade por falta de tempo para me dirigir até o Hemopa. Com essa campanha aqui na Sema, ficou muito mais fácil e eu estou muito feliz em poder salvar vidas com esse ato simples e que não dói nada”, afirmou o servidor. Cerca de 70 servidores se habilitaram para a doação, destes, 25 não puderam doar. Para doar, é preciso ter dormido bem, estar bem alimentado e não ter ingerido bebida alcoólica no dia anterior.
 
Segundo a assistente social da Fundação Centro de Hemoterapia do Pará (Hemopa), Cida Salgado, ainda há muita resistência para a doação de sangue, principalmente por falta de informação. “As pessoas são solidárias, o que falta é o incentivo e o esclarecimento sobre o assunto.”, contou. Cida explicou que para frear a resistência, a equipe faz um trabalho de conscientização com palestras nas instituições e a formação de grupo de multiplicadores da informação. O objetivo é mostrar que doar sangue é um ato simples e que pode salvar vidas.

Diariamente, os hospitais requisitam cerca de 300 transfusões de sangue, mas a média diária de doações atinge apenas a marca de 200, por isso a necessidade de conseguir mais doadores é grande, principalmente em casos de sangues mais raros. “O doador precisa ser despertado, pois as doações são feitas geralmente para parentes e amigos e não se tornam regulares”, explica Cida.

Após a doação, os componentes do sangue (hemácias, plasma, plaquetas e crioprecipitados) são fracionados, o que pode beneficiar de três a quatro receptores. Para doar, é necessário ter entre 16 e 67 anos, mais de 50 kg, não estar gestante ou amamentando e passar por uma triagem realizada por médicos do Hemopa. Os homens podem realizar até quatro doações por ano e as mulheres, apenas três.Um dia depois, o doador já pode retomar as suas atividades normais. “O sangue é um remédio insubstituível e para salvar vidas, você só precisa doar”, afirmou Cida.

Doação de medula – A campanha também se estendeu à doação de medula óssea. Com apenas 5ml de sangue, o servidor pôde se cadastrar no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redoma). O Hemopa oferece o serviço desde 2002 e, atualmente, possui mais de 86 mil cadastrados. Quando há compatibilidade, o doador é chamado para realizar a retirada da medula.

Devido ao sucesso da campanha, a doação foi instituída para ser realizada anualmente no órgão. “Percebemos que a adesão foi muito boa e já fechamos parceria com o Hemopa para realizar essa campanha anualmente na Sema”, afirmou Regina Amador, assistente social do GTD. A parceria faz parte do trabalho de qualidade de vida para o servidor, que é desenvolvido pelo GTD, buscando a valorização e o incentivo a solidariedade do servidor.

Fonte: Comunicação Diap
Ascom Sema
(91) 3184-3341
 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará