Comunidade de Quilombolas terá encontro para conservação da biodiversidade

Belém (17/04/13) – Estabelecer ações políticas de apoio à gestão ambiental e conservação da biodiversidade dos Territórios Quilombolas do Pará. Essa é a pauta da reunião que será realizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), por meio da Gerência de Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais (Gepict), em parceria com a Gerência do Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Metrópole da Amazônia e com apoio da Gerência de Geoprocessamento e Cartografia de Áreas Protegidas (Gecar), nesta quinta-feira,18. Será o segundo encontro deste mês, na comunidade de Quilombos de Abacatal, no município de Ananindeua.

O principal objetivo do encontro é promover, a longo prazo, a conservação dos territórios nativos e realizar um levantamento participativo da situação socioambiental da localidade, através da aplicação de atividades a serem desenvolvidas pela Gepict. Serão coletados, pela Gecar, dados georreferenciados preliminares para caracterização da cobertura vegetal e uso do solo na área quilombola e seu entorno. Essas ações fazem parte da execução do projeto Conservação da Biodiversidade dos Territórios que visa o fortalecimento do mosaico de áreas protegidas, assim como a consolidação do corredor ecológico de proteção dos mananciais de água potável da região metropolitana de Belém.

Na ocasião, as lideranças pediram apoio da Sema, para elaboração de projeto de ecoturismo e  para resolução de várias problemáticas socioambientais que vem acontecendo principalmente no entorno de seus territórios como extração irregular de areia, construção de moradias cujos esgotos serão lançados em sua rede hídrica prevendo danos ambientais irreversíveis à região.

O princípio fundamental que orienta o alcance dos objetivos é a valorização da cultura e do modo de vida das comunidades remanescentes de quilombolas como elementos fundamentais para a conservação do meio ambiente. Também é levado em consideração que nesses espaços territoriais é comum o desenvolvimento de modos de vidas particulares, com grande dependência dos recursos e ciclos naturais.

A Sema irá fazer o acompanhamento da comunidade, através de encontros que possibilitem a discussão de procedimentos e consultas importantes na aplicação dos projetos que serão desenvolvidos no local.

Abacatal – A comunidade quilombola Abacatal, única que está com suas terras regulamentadas e tituladas na Região Metropolitana de Belém, desde 1999, é constituída por cerca de 75 famílias e está localizada no município de Ananindeua. Uma viagem de carro do centro de Belém até a comunidade leva cerca de uma hora.

A origem da comunidade está ligada aos vários engenhos de cana-de-açúcar que existiram ao longo dos séculos XVIII e XIX nas proximidades de Belém, às margens de rios como o Guamá, Bujaru, Acará e Moju. 

Ascom Sema

 (91) 3184-3341 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará