Novas tecnologias vão facilitar o monitoramento ambiental no Pará

Belém (16/01/13) – O monitoramento ambiental do Pará ganhou o reforço de novas tecnologias para o combate à degradação ambiental no Estado. Desde o início deste ano, está funcionando na Diretoria de Fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente do Estado (Sema), as novas instalações da sala de monitoramento. Novos computadores de alto desempenho, equipamentos multimídia e técnicos geógrafos, engenheiros ambientais, florestais, agrônomos, entre outros, estão qualificados em geoprocessamento de dados e sensoriamento remoto para realização do trabalho.

O gerente de Monitoramento Ambiental da Sema, Rodolfo Gadelha, ressalta que o monitoramento da atividade carvoeira é o principal objetivo deste novo espaço, exigência de uma cláusula do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) do carvão, assinado pela Sema, Ministério Público Federal (MPF), outros órgãos públicos e siderúrgicas. “O monitoramento se estende também a desmatamentos e a planos de manejo florestal, que a partir deste ano serão verificados em duas etapas: por sensoriamento remoto, através da detecção de exploração florestal seletiva, e por meio da movimentação dos créditos virtuais no Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora)”, complementa.

De acordo com o gerente, a Sema concluiu o Plano Operacional Anual (POA) para a fiscalização ambiental em 2013, onde as metas de monitoramento estão definidas. Além da exploração seletiva e desmatamento, outras mudanças causadas por atividades econômicas serão analisadas espacialmente, com mais detalhes. Os resultados serão úteis à fiscalização e aos setores de licenciamento do órgão ambiental do Pará.

Previsão do tempo

Uma sala de situação para previsão e monitoramento de eventos hidrometeorológicos (sala de eventos de risco) também está em pleno funcionamento desde o início de janeiro, na Sema. A tecnologia disponível envolve estações de trabalho com grande poder de processamento e telas para visualização e acompanhamento das condições atmosféricas em tempo real. 

O acordo de cooperação que possibilita esta ação foi firmado inicialmente entre a Sema e a Agência Nacional das Águas (ANA). A Sema está estendendo o acordo a parceiros locais, entre eles a Defesa Civil do Estado, a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), a Universidade Federal do Pará (UFPA) e outros ainda a serem confirmados. O trabalho está sendo desenvolvido por profissionais de Meteorologia, Hidrologia e Análise de Sistemas da gerência de Sistema de Informações de Recursos Hídricos, da Diretoria de Recursos Hídricos.

O coordenador de Informação e Planejamento Hídrico da Sema, Antonio Sousa, considera que a partir de agora haverá possibilidade de previsão e monitoramento mais detalhados e com mais precisão, com informações em tempo real do nível dos rios, que servirão de suporte para a Defesa Civil do Pará, por exemplo, no alerta à população nas questões de cheias dos principais rios estaduais. “A previsão de tempo com antecedência vai permitir também a antecipação de medidas de defesa a condições extremas, principalmente nas questões pontuais de alagamentos na Região Metropolitana de Belém (RMB)”, prevê.

Ascom Sema
(91) 3184-3341

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará