Sema discute Gestão Ambiental de Terras Quilombolas durante Encontro

Belém (05/12/12) – Encerra nesta quarta-feira, 05, o I Encontro de Gestão Ambiental em Território Quilombola do Estado do Pará, promovido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), por meio de sua Gerência de Povos e Comunidades Tradicionais. A reunião permitiu ao órgão ambiental dar destaque ao início do projeto de Gestão Ambiental e Conservação da Biodiversidade dos Territórios Quilombolas do Pará (ConBio), que visa dar atendimento aos territórios quilombolas para estabelecer ações técnico-científicas e políticas de apoio à gestão ambiental e conservação da biodiversidade

No local, a gerente Claudia Kahwage coordenou a série de apresentações feitas por representantes da Secretaria de Políticas Públicas de Promoção e da Igualdade Racial do governo federal, do Instituto de Desenvolvimento Econômico-Social e Ambiental do Pará (Idesp), do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), da Coordenação das Associações das Comunidades Remanescentes de Quilombos, do Núcleo de Altos Estudos da Amazônia da Universidade Federal do Pará, da Comissão Pro-Índio de São Paulo, da Universidade do Amazonas, e do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora).

De acordo com Kahwage, o Estado está promovendo esse encontro para que haja um levantamento participativo da situação socioambiental dos territórios quilombolas no Pará e articulação entre os órgãos do Governo para definição de papéis na execução da política estadual para as comunidades remanescentes de quilombos.

Grupos de trabalho foram formados hoje e estão discutindo durante a tarde pontos do projeto ConBio, que está sendo implementado com a execução de três linhas de ação:  Articulação Política e Organizacional para Gestão  Ambiental e  Conservação da Biodiversidade em Comunidades Remanescentes de Quilombos; Gestão Ambiental em Territórios    Quilombolas; Valorização e Apoio a Comercialização dos Produtos da Sociobiodiversidade das Comunidades de Remanescentes de Quilombos do Pará. 

O princípio fundamental que orienta o alcance dos objetivos do Projeto é a valorização      da cultura e do modo de vida das comunidades remanescentes de quilombolas como elementos fundamentais para a conservação do meio ambiente. Também é levado em consideração que nesses espaços territoriais é comum o desenvolvimento de modos de vidas particulares, com grande dependência dos recursos e ciclos naturais.   Entretanto, o avanço de ocupação da região amazônica através de ameaças como exploração madeireira, mineral, potencial hidroelétrico, ações de grilagem, pesca predatória, extração ilegal de garimpo, dentre outras, tem cada vez mais fragilizado esses territórios, que são vulneráveis e sujeitos a suscetíveis pressões e ameaças.

Fotos: Haydeé Marinho – Diap/Sema

Ascom Sema

(91) 3184-3341

                   

 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará