Centro de Endemismo Belém agrupa maioria das aves em extinção da Amazônia

Belém, 07/11/12 – A elaboração do Plano de Ação Nacional (PAN) das Espécies de Aves Ameaçadas de Extinção da Amazônia coordenado pelo Instituto Chico Mendes para a Biodiversidade (ICMBio) esteve em foco, entre 29 de outubro e 01 de novembro, no município de Iperó (SP). Estiveram presentes a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) do Pará, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Ministério do Meio Ambiente, Ministério de Minas e Energia, Universidade Federal do Espírito Santo, Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo, Museu Paraense Emílio Goeldi, Ibama do Amazonas, Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e ICMbio do Maranhão e de Roraima.

O Plano de Ação segue um roteiro metodológico estabelecido pelo ICMbio em colaboração com a União Internacional para a Conservação da Natureza e busca pactuar iniciativas de conservação entre instituições, levando-se em consideração as ameaças e oportunidades de proteção para as espécies. O processo objetiva o estabelecimento de compromissos e responsabilidades das instituições para a redução das ameaças sobre as espécies.

De acordo com a gerente de Proteção à Fauna, da Sema, Nívia Pereira, a principal ameaça detectada é a perda de habitat, através de desmatamento, queimadas, conversão de floresta em pasto e agricultura. Das 46 espécies listadas por pesquisadores como ameaçadas de extinção na Amazônia, mais de 50% dos casos estão presentes no Centro de Endemismo Belém – com área em torno de 243 mil Km2, que abrange 62 municípios no Pará e 85 do Maranhão. “A região está bastante degradada e caso não sejam executadas ações para conter os efeitos desta acelerada degradação, muitas espécies serão extintas e todo o efeito ecológico benéfico gerado por estas espécies será perdido”, atesta a pesquisadora.

Entre as aves vulneráveis de extinção que se encontram no Centro Endêmico Belém estão a ararajuba (Guaruba guarouba), o gavião real (Harpia harpyja), araçari (Pteroglossus bitorquatus bitorquatus) e a jacupiranga (Penelope pileata). Em perigo de extinção foi identificado, entre outras, o mutum (Crax globulosa). Algumas das que estão criticamente ameaçadas de extinção são o mutum de penacho (Crax fasciolata pinima) e o jacamim das costas verdes (Psofia obscura).

A Sema, através do Projeto Proteção das Espécies da Flora e Fauna Ameaçadas de Extinção, da Diretoria de Áreas Protegidas e Coordenadoria de Ecossistemas, contribui para promover a gestão ambiental integrada, compartilhada, compatível com o desenvolvimento sustentável e assegurar a preservação, a conservação do meio ambiente e a melhoria da qualidade de vida.

Ascom Sema
(91) 3184-3341

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará