Gavião-real é encontrado na APA Araguaia

Belém (26/01/12) – Técnicos do Parque Estadual Serra das Andorinhas (Pesam), em São Geraldo do Araguaia, encontraram um ninho de Gavião-real no interior da Área de Proteção Ambiental (APA). Eles catalogaram o achado e estão monitorando a ave desde novembro passado. O ninho está em um dos jatobazeiros mais antigos e altos da região, com aproximadamente 50 metros de altura. O Gavião-real está na lista de animais ameaçados de extinção da natureza desde 2002.

Para sistematizar o trabalho, a equipe técnica do parque, formada pela Zootecnista Giselle Leandro Sousa, pelo sociólogo Cassiano de Oliveira, em parceria com o agrônomo Joari Oliveira Procópio, elaborou um projeto para monitorar a ave de rapina. Eles visitam o ninho duas vezes ao mês.

A coordenadora do projeto, Giselle Leandro, explica que o monitoramento do gavião-real visa efetivar a proteção das aves encontradas na APA Araguaia; elaborar um banco de dados sobre a espécie Harpia harpyja para subsidiar as atividades da Sema em relação à preservação da avifauna silvestre da região; e proporcionar a integração entre o trabalho de fiscalização ambiental com fins a obter resultados mais consistentes na manutenção da qualidade ambiental da APA.

A zootecnista explica ainda que a equipe tem duas linhas de trabalho. A primeira é referente a proteção e monitoramento da ave localizada, enquanto a segunda está relacionada ao levantamento de dados sobre a espécie em geral encontrada no interior da APA Araguaia e do Parque Estadual Serra das Andorinhas.

“Vale ressaltar que a pesquisa integra duas das principais áreas de atuação da gerência do Pesam. A primeira está ligada às atividades de Proteção e Fiscalização Ambiental, a segunda é concernente ao Manejo de Recursos Naturais da Unidade de Conservação”, informou Giselle Leandro, acrescentando que por meio do monitoramento do ninho da harpia a equipe pretende contribuir na proteção e gestão do patrimônio ambiental do Pesam.

Cassiano de Oliveira explica que o gavião real é uma espécie rara na região sudeste do estado e de grande importância ecológica para o ecossistema da Unidade de Conservação. “O projeto foi elaborado como resposta à necessidade de proteção e monitoramento da espécie no interior da APA Araguaia”, explicou Cassiano, acrescentado que o monitoramento do ninho também visa efetivar ações de fiscalização ambiental de forma sistematizada e integrada com outras áreas de atuação da gestão da unidade.

O agrônomo Joari Procópio destaca que a função agronômica na pesquisa consiste no georreferenciamento da área, como plotagem dos pontos das coordenadas geográficas do local do ninho; bem como realizar estudo da árvore que o sustenta o ninho.

“Realizamos análise taxonômica da árvore onde está o ninho e a harpia objeto da pesquisa. Identificamos o tipo de árvore, altura, medida do tronco, nome científico, ordem e família a que pertence. Assim como a situação de fitossanidade do vegetal, além do delineamento da área”, informou Proscópio, destacando que o trabalho também visa sensibilizar moradores da comunidade local por meio de ações de educação ambiental sobre a importância de proteger o gavião-real.

Para o gerente do Parque Estadual Serra das Andorinhas, Abel Pojo, encontrar um ninho de gavião-real na APA Araguaia reflete a importância da unidade de para preservação da espécie. “Estamos em um contexto de grande pressão sobre os recursos naturais. A identificação do ninho na APA é verdadeiramente um achado. Assim como a onça-pintada, essa ave está entre os predadores de topo de cadeia alimentar, ou seja, são animais que precisam de um ecossistema equilibrado para viver e se reproduzir”, destacou, frisando que pretende debater a importância da pesquisa científica em unidades de conservação para ampliar o conhecimento das áreas e as dinâmicas de sua fauna e flora das áreas protegidas.

Fonte: Nilson Amaral – Programa de Educação Ambiental do PESAM – DIAP/SEMA

Ascom Sema
(91) 3184-3332

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará
teste