Sema apresenta produção científica na área de Ecoturismo

A evolução do turismo na APA de Algodoal-Maiandeua, o planejamento de unidades de conservação com potencial turístico, a diversificação de produtos como alternativas para a sazonalidade no turismo, e o ecoturismo nas comunidades de Santana do Arari e Tartarugueiro (no Marajó), foram trabalhos de especialistas da Diretoria de Áreas Protegidas, da Sema, apresentados no VII Congresso Nacional de Ecoturismo e III Encontro Interdisciplinar de Ecoturismo em Unidades de Conservação e publicados na Revista Brasileira de Ecoturismo.

A Evolução do Turismo na Área de Proteção Ambiental de Algodoal – Maiandeua, tema discutido pela técnica Adriana Oliveira Maués Ferreira, faz um histórico da atividade turística na APA, iniciada de forma desordenada nos anos 80, e que culminou no turismo de massa em detrimento do ecoturismo. Ela lista problemas encontrados no planejamento e gestão do trabalho na APA, e apresenta alternativas para subsidiar a elaboração de propostas de manejo do ecoturismo.

A técnica também apresentou o trabalho Planejamento de Unidades de Conservação com grande potencial turístico: levantamento da atividade turística na APA de Algodoal-Maiandeua, Maracanã, que visa dar subsídios para o ordenamento turístico na UC. Com o ordenamento estabelecido, a atividade turística atual deixaria de causar impactos negativos às populações local e visitante, e de comprometer a qualidade ambiental da Unidade.

A Diversificação de Produtos como Alternativa para a Sazonalidade no Turismo – o caso do Parque Estadual da Serra das Martírios/Andorinhas (PESAM) – em São Geraldo do Araguaia, foi o tema abordado pelos técnicos Maria do Perpétuo Socorro Rodrigues, Abel Pojo Oliveira e Fernanda Almeida Cunha que destaca os atrativos arqueológicos e histórico-culturais do Pesam, que incluem grandes cachoeiras, poços naturais, praias de rio, trilhas ecológicas, cavernas etc. Para que essas características sejam melhor aproveitadas, o grupo de técnicos fala do desenvolvimento de um Programa de Gestão e Planejamento do Ecoturismo no Parque.

Um estudo de caso sobre a Prática do Ecoturismo nas Comunidades de Santana do Arari e Tartarugueiro no município de Ponta de Pedras, no Marajó, também foi tema apresentado no Seminário. A técnica Andréia Dantas Costa explica que o povo dessa área, que é remanescente de quilombola e sobrevive do extrativismo e da pesca, busca no turismo uma opção geradora de emprego e renda.

Porém, segundo a especialista, há reclamações dos moradores em relação ao tempo de permanência dos turistas no local, que por ser curto, impede que eles conheçam a história e vivenciem o cotidiano dos moradores. Para evitar o desestímulo desses moradores em relação ao turismo, Andréia propõe o estabelecimento do ecoturismo de base comunitária na localidade, para que a comunidade seja a própria responsável pelo seu desenvolvimento.

Ascom Sema
(91) 3184-3332

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará