Adaptação às mudanças climáticas gera expectativas entre pesquisadores

Principal tema discutido pelas Nações Unidas (ONU) em 2009, as mudanças climáticas levantam expectativas e iniciativas de pesquisadores e instituições governamentais em desenvolver formas de adaptação às condições futuras do clima. Na terça, 22, profissionais de diversas áreas discutiram alternativas tecnológicas e de adaptação de espécies da fauna e flora amazônica às alterações climáticas no Workshop “Adaptação a Mudanças Climáticas: troca de saberes entre a pesquisa, extensão e produtores”.

Na Amazônia brasileira, o Workshop foi o primeiro passo para começar a se definir quais espécies poderiam ser estudadas quanto à adaptação climática. O cacau, o açaí, o pirarucu e a pescada amarela foram indicados pelos participantes para serem os primeiros da região a estarem na metodologia trabalhada, a modelagem de espécies. Outros vegetais, como o pau-rosa e o pau-cravo, foram lembrados por Hugo Freitas, do Museu Paraense Emílio Goeldi (Mpeg), por estarem em risco de extinção.

Um dos exemplos em que foi adotada a modelagem é a batata (Solamum tuberosum). De acordo com Raul Ramos, do Instituto Nacional Autônomo de Pesquisas Agropecuárias (Iniap), o tubérculo apresenta uma tendência de desaparecimento até 2050, na região da micro-bacia do rio Chimborazo, localizado no Equador.

A modelagem pode servir para a elaboração de mapas de distribuição das espécies, reconhecimento das variáveis ambientais e predominância animais e vegetais a partir das variações de temperatura. Os participantes falaram, ainda, do setor agroflorestal e das mudanças nos calendários produtivos de algumas culturas como forma de adaptação.

O evento foi organizado pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Consórcio Iniciativa Amazônica (Icraf), Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará e pela Agência Alemã de Cooperação Técnica (GTZ), entre outros.

Ascom Sema
(91) 3184-3332

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará