Caranguejo volta à mesa dos paraenses

Os períodos de defeso do caranguejo para proteção do acasalamento, quando os animais saem das tocas para reprodução da espécie, acabaram nesta segunda-feira, 5 de abril. Desde o primeiro período do defeso, em janeiro, foram apreendidos e devolvidos aos mangues mais de dez mil animais. Outra quantidade foi doada a instituições sem fins lucrativos.
 
Desde janeiro, atendendo resolução publicada no Diário Oficial do Estado, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Agência de Defesa Agropecuária (Adepará), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) tiveram atuação conjunta para o cumprimento da resolução. As equipes receberam apoio das prefeituras e Polícias Militares dos municípios.
 
Durante as operações foram fiscalizadas feiras em Belém e de outros municípios, supermercados, transporte ilegal do crustáceo nas estradas e os próprios manguezais de centros pesqueiros de caranguejos do Pará. Animais silvestres em cativeiro, peixes em período de defeso, tipos de pesca predatória, denúncias de desmatamento e até trabalho de prospecção, em busca de calcário, também foram fiscalizados.
 
Os municípios de São Caetano de Odivelas, Bragança, Augusto Corrêa e Quatipuru receberam em seus mangues, de volta ao habitat natural, milhares de caranguejos apreendidos nas operações desencadeadas. Capanema e Viseu também foram fiscalizados.
 
Entidades filantrópicas receberam doação do alimento para as pessoas assistidas. A igreja dos Capuchinhos e a Casa Cipriano Santos estão entre as beneficiadas. 
 
A gerente de fauna da Sema, Simone Linhares, acredita que a população demonstrou estar mais consciente e respeita cada vez mais os períodos de defeso. “Este ano o resultado demonstrou maior consciência da população e o resultado foi muito bom”, avaliou.    
 
Luiz  Otávio Fernandes
Ascom Sema
(91) 3184-3332 
Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará