6.000 caranguejos retornam ao mangue no primeiro dia de defeso

No primeiro dia de defeso do caranguejo-uçá foram apreendidas mais de seis mil unidades da espécie, em Belém, pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), com apoio do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA). Após as apreensões e a emissão dos autos de infração foi realizada a soltura dos animais nos manguezais do município de São Caetano de Odivelas, região do salgado.
 
As apreensões dos caranguejos tiveram início na madrugada deste sábado, 16, na feira do Entroncamento, onde os fiscais da Sema encontraram 3.300 exemplares, em situação irregular. No local, o feirante José Nascimento teve apreendido 1.300 animais porque a autorização que apresentou indicava que o estoque era para ser comercializado na feira da Jaderlândia. “O meu prejuízo é de 900 reais”, lamentou o comerciante.
 
Os fiscais encontraram, ainda no Entroncamento, 2.000 animais sem a presença do responsável, que foram recolhidos e transportados para o BPA na avenida João Paulo II. O comerciante, Paulo da Silva, se apresentou no Batalhão e alegou que a mercadoria estava legalizada, apresentou a documentação, mas o auto de infração foi lavrado. O proprietário havia deixado as cambadas, procedentes de São Caetano de Odivelas, abandonadas, sem nenhuma proteção e o produto foi recolhido. 
 
Em outro ponto da cidade, o caminhão, placas JVL 5589, interceptado na avenida Duque de Caxias, no bairro do Marco,  transportava mais de 2.000 crustáceos com autorização de comercialização emitida pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Bragança, para o comércio de apenas 800 unidades e foi recolhido ao BPA. O responsável pela carga, Walmir Silva, morador da vila Tamatateua, em Bragança, apresentou também guia de transporte, emitida pela Adepará, válida até 17 de janeiro, contrariando o período do defeso, e não foi multado pelo transporte ilegal. A apreensão dos caranguejos foi causada pelos números incompatíveis entre a quantidade que transportava e o que estava autorizado a vender.
 
Todos os exemplares apreendidos foram levados para o manguezal em frente à sede do município de São Caetano de Odivelas, onde a pesca do caranguejo é uma das potencialidades da economia local. A prefeitura deu apoio logístico à equipe de fiscalização e colocou um barco à disposição para o transporte dos animais para o seu habitat natural, o mangue do outro lado do rio Mojuim, que banha a cidade. O prefeito do município, Rubens Barbalho, e o secretário de Meio Ambiente, Edilson Ferreira, declararam, por telefone, que a fiscalização municipal enfrenta problemas, mas que o defeso está tendo o respeito dos moradores da região. 
 
Durante a soltura dos caranguejos, a bióloga da Gerência de Fauna, da Sema, Solange Luz, ressaltou a importância da operação de preservação ambiental: “o período de defeso é muito importante para a proteção da espécie e para a reprodução do animal”. 

 Está em vigor proibição da captura, transporte, beneficiamento, industrialização, armazenamento e comercialização do caranguejo-uçá durante o período reprodutivo em que machos e fêmeas saem das tocas e andam pelos manguezais para acasalamento e liberação de ovos, nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril de 2010.
 
Resolução conjunta da Sema, Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepaq) e Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Adepará) determina os seguintes períodos para o defeso do caranguejo:
 
janeiro – de 16 a 21/01 e de 31/01 a 05/02;
fevereiro – de 15 a 20/02;
março – de 01 a 06/3, de 16 a 21/3 e de 31/3 a 05/4
 
Luiz Otávio
Ascom Sema
(91)3184-3332

Fotos: Luiz Otávio

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará