Sema bloqueia empresa suspeita de falsificar documentos

Foi bloqueada na tarde desta segunda-feira, 14, pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), uma empresa madeireira no município de Goianésia do Pará, localizada a 282 km da capital, por solicitar créditos de madeira no Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora), que não estavam no pátio da firma.

Um suposto consultor da empresa protocolou no dia 03 de julho deste ano, na Sema, o pedido de créditos no Sisflora de 725 metros cúbicos de madeira serrada, entre as quais maçaranduba, candeia, roxinho e jatobá, vindas do Maranhão. Para lançar os créditos na pasta da empresa, a Sema enviou equipe de fiscalização ao município para verificar a existência da propriedade das espécies.

Segundo o atual gerente de Fiscalização da Sema, César Platon, quando os fiscais chegaram ao local, dia 27 de novembro, encontraram cerca de 30 metros cúbicos de madeira em tora. Nenhuma serrada, conforme a solicitação feita pelo consultor ambiental. “Na empresa, um dos sócios afirmou que não conhecia o consultor, e que o procurador da empresa seria outra pessoa que sequer havia ido à Sema solicitar créditos, já que não possuíam aquela quantidade de madeira descrita”, afirma Platon.

A empresa foi autuada por “desdobro e comercialização de madeira em desacordo com a legislação ambiental” e deve permanecer bloqueada no Cadastro de Exploradores e Consumidores de Produtos Florestais do Estado do Pará (Ceprof) até sua regularização na Sema. Enquanto isso, não poderá comprar, vender ou transportar produtos florestais.

Luciana Almeida
Ascom Sema

Fotos: Marcelo Gama – Sema

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará