Sema realiza Educação Ambiental na APA Araguaia

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), por meio da gerência em São Geraldo do Araguaia, realizou, de 03 a 05 de outubro, o lançamento do projeto de Educação Ambiental do Parque Serra das Andorinhas (Pesam) e da Área de Preservação Ambiental (APA) do Araguaia, nas Vilas Santa Cruz, Ilha de Campo e nos dois Projetos de Assentamentos, Tira Catinga e Buqueirão, todos localizados na APA Araguaia.

A meta do projeto é incluir o Parque e a APA no currículo escolar e nas práticas diárias dos professores, alunos, funcionários das escolas e moradores da região.
A assinatura do termo de parceria, que define a contribuição de cada instituição no projeto, teve a participação da prefeitura do município, das Secretarias de Meio Ambiente, Educação, Saúde, Agricultura e Obras e Infraestrutura; da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural ( Emater) e do Grupo de Agentes Ambientais Voluntários (Gaav).

A gerente do Pesam, Giselle Parise, relatou que o projeto contempla duas campanhas com questões ambientais, emergentes nas comunidades: lixo e desmatamento.
“Comunidade Limpa” é a campanha para sensibilizar a comunidade quanto à coleta e destinação final do lixo, medida indispensável para manter a vila limpa e aprazível.”, disse Parise.

Durante visitação realizada nas vilas de Ilha de Campo e Santa Cruz, foram desenvolvidas as primeiras ações de sensibilização e gestão do lixo gerado na comunidade. Os participantes assistiram a palestras com temática correlacionada ao lixo, principalmente coleta seletiva, e, logo depois, professores, alunos, líderes comunitários e moradores realizaram um mutirão pela comunidade recolhendo o lixo, que, em seguida, foi levado para zona urbana do município para ter seu destino final.

Na ocasião, foram distribuídas duas lixeiras por residência, de forma a acondicionarem o lixo seco e o úmido, também foram instaladas lixeiras seletivas públicas em locais estratégicos nas comunidades.
De acordo com o Coordenador do Projeto, Nilson Amaral, "a idéia principal é compartilhar os conhecimentos dos recursos naturais e culturais da região, desenvolver valores e comportamentos que auxiliem na conservação da natureza, o que deverá refletir positivamente na qualidade de vida das comunidades", enfatizou o coordenador.

Para isso, serão desenvolvidas, durante o monitoramento do projeto, oficinas pedagógicas com os professores, distribuição mensal de jornal, palestras nas escolas, campanha de reflorestamento, campanha “Comunidade Limpa” e o concurso de redação, poesia e desenhos. “Todas as atividades desse trabalho são para estimular o senso de responsabilidade e o respeito com a natureza. O modo como nos relacionamos com o meio ambiente reflete diretamente na nossa qualidade de vida”, esclareceu Amaral.

Durante o momento de assinatura do termo de parceria, ocorrido na Vila Santa Cruz, uma vila mais antiga que a cidade de Marabá, o professor Valdemir, emocionado, disse que o problema com lixo existe em todo o mundo. “Hoje, apesar de tanto se falar em preservação ambiental, são poucos os órgãos ou entidades que, de fato, fazem uma ação para reduzir os impactos ambientais em nosso município. Parabenizo a atitude da Sema e torço para que os parceiros cumpram sua parte no projeto. Com isso, nossa comunidade tem muito a ganhar”, reconheceu o docente. Valmir destacou que a participação da comunidade é importante para o desenvolvimento das atividades na vila.
A coleta do lixo gerado nas vilas será feita, semanalmente, por meio da Secretaria de Obras do Município, monitorada por um técnico da Sema e auxiliado por agente ambiental voluntário.

Unidade de Conservação
No município de São Geraldo do Araguaia, estão localizadas duas unidades de conservação estaduais, o Parque Estadual da Serra das Andorinhas, de proteção integral, criado por meio da Lei estadual Nº 5.982/1996 e a Área de Proteção Ambiental (APA) de São Geraldo do Araguaia, de uso sustentável, criada pela lei estadual Nº 5.983/1996.

Criadas com a finalidade de preservar os ecossistemas naturais contra quaisquer alterações, conservar e recuperar os ecossistemas, proporcionar melhoria na qualidade de vida das populações locais, por meio de programas e projetos de desenvolvimento sustentável

Vila de Santa Cruz
De acordo com o plano de manejo do Parque, a pequena Vila de Santa Cruz existe há mais de 120 anos. Lá vivem famílias de baixa renda que sobrevivem da aposentadoria dos mais velhos e da prestação de serviços em outras propriedades. A subsistência e a complementação de renda é obtida com a pesca e com a agricultura de pequeno porte, realizada nos quintais das casas ou nas cercanias do povoado.
O rio Araguaia é o principal elemento definidor da identidade cultural do povoado, mas as festas também são atrações culturais importantes. O Festejo de Santa Cruz, a festa mais famosa, dura nove noites, durante esse período, as pessoas utilizam roupas e motivos temáticos, que variam a cada ano.

A Festa de São João, que tem início com jogos de futebol contra times de outras comunidades, no campo do povoado, só termina à noite com a quadrilha formada pelas crianças da comunidade. Outra grande festa é A Festa do Divino, que inclui uma procissão até a “igreja de Pedra”, localizada na Serra das Andorinhas, mais precisamente no interior do Pesam.
Sem uma destinação correta, o lixo, até pouco tempo, na Vila de Santa Cruz, era queimado ou lançado em valas a céu aberto. Com a implementação do projeto de Educação Ambiental, os moradores terão algo mais a comemorar: a preservação do lugar onde vivem.

(Texto: Nilson Amaral, com alteração da Ascom da Sema)


Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará