Adepará incia georreferenciamento de propriedades do sul do Estado

Seis municípios do sul do Estado integram o projeto piloto de implantação da Guia de Trânsito Animal (GTA) Eletrônica. O georreferenciamento e a atualização cadastral de cerca de 14 mil propriedades rurais da região, com rebanho de quatro milhões de cabeças de bovinos e bubalinos, se iniciaram este mês. Esse rebanho converge para dois frigoríficos – Bertin e Frigol. A expectativa é que o trabalho esteja concluído no dia 1º de novembro.


No Pará, estão cadastradas 111 mil propriedades rurais que se dedicam à atividade agropecuária, sendo que cerca de 90 mil possuem até 200 animais, o que indica forte presença de pequenos e médios produtores. A estimativa é que esta atividade movimente mais de R$ 5 bilhões/ano.

O cadastro das 111 mil propriedades rurais ainda era feito em papel e todas serão georreferenciadas para atualização cadastral. Dessa forma será mais fácil, e em tempo real, conferir a movimentação dos animais dentro dos municípios ou para fora do Estado e do país. A nova guia também traz informações sobre o proprietário do rebanho, a localização da área, dados dos animais e suas condições sanitárias.

Em Marabá, Eldorado de Carajás, Água Azul do Norte, Ourilândia do Norte, Tucumã e São Félix do Xingu, já estão em campo os técnicos da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), com apoio do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, prefeituras, sindicatos de produtores rurais e de trabalhadores.

Segundo Aliomar Arapiraca, diretor geral da Adepará, das 14 mil propriedades rurais dos seis municípios, 10 mil estão georreferenciadas. A GTA Eletrônica é um dos compromissos assumidos pelo governo do Estado, mediador dos Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) assinados por produtores rurais e frigoríficos.

Normalidade – "Temos o objetivo de avançar no ordenamento da atividade pecuária e restabelecer a normalidade da atividade. Até dezembro deste ano, 60 mil propriedades rurais de quatro regiões do Estado, ou seja, metade de nossas propriedades rurais terá um ponto de georreferenciamento", afirmou. O prazo para o georrefereciamento, previsto nos termos, é final de junho de 2010.

A região sul do Estado faz parte da área 1 livre da febre aftosa com vacinação. No Baixo Amazonas, área 3 de alto risco para febre aftosa, a Adepará também já começou o georreferenciamento de 16 mil propriedades rurais, que será concluído em dezembro, antes do período chuvoso. Até o final do ano, informou Arapiraca, será implantada a GTA Eletrônica nos municípios das regiões nordeste, com 22 mil propriedades, e Marajó, com três mil propriedades.

"No nordeste paraense, 70% das fazendas estão georreferenciadas, mas as informações encontram-se no papel. Vamos digitalizar essas informações e fazer o georreferenciamento nos 30% restantes", garantiu.

Arapiraca acredita que o número de propriedades rurais é superior a 111 mil. Com o georreferenciamento será possível obter o número correto e planejar melhor as políticas públicas para o setor, a partir do monitoramento com fotos de satélite que alimentará um banco de dados do Ministério da Agricultura. "Será assinado um acordo de cooperação entre o ministério e o governo do Estado para que os órgãos estaduais também possam dispor dos dados gerados nas propriedades rurais", acrescentou.

Ele destacou ainda que essas informações serão fundamentais para vários órgãos governamentais, como a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e o programa Terra Legal, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). "Com a GTA Eletrônica ficará mais fácil para o produtor entrar no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e garantir a regularização ambiental. E será possível localizar as propriedades que são alvo do Terra Legal para regularização fundiária", explicou.

Fabíola Batista – Secom

 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará