Obras do “Água para Todos” vão triplicar abastecimento em Santarém

Com um investimento de cerca de R$ 36 milhões, o programa Água para Todos é a concretização de um sonho para milhares de moradores de Santarém, município da região do Baixo Amazonas. Desse volume de recursos, o governo do Estado participa com quase R$ 5 milhões nas obras de ampliação e melhoria do sistema de abastecimento de água local. Parte da população de 300 mil habitantes nunca teve água encanada em casa ou sofre há décadas com a precariedade do serviço. Iniciadas em 2007, pela Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), as obras devem ser entregues no ínicio de 2010.

Resultado do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o projeto prevê a construção de quatro novos poços profundos (um já em fase de conclusão) e quatro reservatórios, localizados nos bairros do Livramento, Conquista, Santa Clara e Irurama. Com isso, aumentará o número de adutoras e haverá um incremento de mais de 79 mil metros cúbicos de água na rede de distribuição do sistema atual. A capacidade de abastecimento de água em Santarém passará de 1000m³ para 3000m³ por hora.

"Além da melhoria no abastecimento, haverá também água de qualidade", ressalta Paulo Elair Lima, gestor da Cosanpa no Baixo Amazonas. Ele explica que, com o novo sistema, a aplicação de cloro será feita regularmente, assim como os demais tratamentos, realizados na Casa de Química. "Bairros que hoje não têm água passarão a ter, e a rede de distribuição será controlada com a colocação de hidrômetros", informa Lima.

A obra foi eleita pela população como prioridade dentro do Planejamento Territorial Participativo (PTP), que definiu os bairros mais carentes de saneamento para serem atendidos na primeira etapa do PAC.

O líder comunitário Onizomar de Barros mora no bairro de Santa Clara há oito anos, no centro da cidade, e se reúne constantemente com outras 25 lideranças para discutir problemas da comunidade, fiscalizar e cobrar soluções dos gestores. "Essa reivindicação por um novo sistema de água, da minha parte, é de mais de 40 anos. Espero que essas melhorias para o oeste do Pará continuem", diz o líder comunitário, explicando que a segunda parte contemplará a reestruturação geral do sistema de esgoto do município.

Abastecimento – Dos quatro reservatórios, o do Livramento terá a maior capacidade de armazenamento – 3 milhões de litros de água. As novas obras, de acordo com Paulo Lima, garantirão o abastecimento ininterrupto de água.

Panes nas peças, lembra a comerciante Alba Rosa Santos, 53 anos, era uma das justificativas que ouvia dos funcionários da Cosanpa quando cessava o abastecimento em sua residência. "Espero que estes problemas acabem logo, porque é um sofrimento e tanto a falta de água aqui", informa. Dona de uma pequena venda de frutas e verduras, ela mora com filho e as sobrinhas em frente a um dos novos reservatórios da Cosanpa, no bairro de Santa Clara.

A dona de casa Maria Zulailma de Vasconcelos, 56 anos, conhece bem esse tipo de dificuldade. Junto com o marido e mais seis filhos, ela nunca teve água encanada na casa onde mora há sete anos. Zulailma também reside ao lado de um dos futuros reservatórios, no bairro do Livramento. A solução encontrada pela família foi pedir ajuda ao vizinho, que tem poço artesiano e cobra R$ 30,00 por mês para ceder a água. Além da despesa, há o esforço diário de carregar água, que fica armazenada no quintal da casa.

"Aqui o local é alto e a água não sobe", explica Maria Zulaima, que ainda recorda o tempo em que, junto com o pai, na década de 1980, andava longas distâncias com baldes na cabeça para conseguir água em poços no local onde moravam, próximo ao endereço atual. "Parece um sonho. Estou muito alegre com toda essa obra e peço a Deus para que a gente possa ver logo a água caindo", conta ela.

Fonte: Luciane Fiuza – Secom

 

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará