Rede independente e integrada amplia agilidade da Sema

Qualificar e melhorar o manejo florestal no Pará, dando mais transparência à gestão e ao controle ambiental sobre o uso dos recursos florestais, por meio de uma rede independente e integrada, envolvendo governo, empresários e institutos de pesquisa, para ampliar a capacidade e celeridade da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) na análise de processos e no acompanhamento dos projetos de manejo.

Estes são os principais objetivos do Programa de Apoio ao Manejo Florestal (Pamflor), planejado para fortalecer a cadeia produtiva da madeira. Na sexta-feira, 21, uma reunião na Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect) debateu os principais gargalos do setor.

Um sistema de monitoramento remoto e de verificação independente das práticas florestais no campo; mais ações de assistência técnica, capacitação e treinamento; a indução de melhorias no padrão tecnológico da industria florestal e a produção de estudos que forneçam informações estratégicas sobre o setor fazem parte do escopo do Pamflor.

"A tônica do Governo continua sendo o diálogo e a negociação. Nós temos a convicção de que a ampliação da competitividade da indústria florestal não é uma tarefa apenas do Governo e sim de toda sociedade. Para isso, reuniões como essas são fundamentais", afirmou o titular da Sedect, Maurílio Monteiro.

Os empresários pediram mais agilidade na análise dos contratos de transição da Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) para o Ideflor; prioridade na liberação dos processos de manejo e reflorestamento; e ainda soluções aos problemas técnicos constatados no Sisflora.

"De um modo geral as coisas estão acontecendo, talvez ainda não na velocidade esperada pelos empresários, mas vem avançando significativamente. É um processo complexo que envolve ainda questões legais e ambientais que precisam ser respeitadas", afirmou o diretor do Ideflor, Jorge Yared.

Na avaliação do presidente da Associação das Indústrias de Exportação de Madeira (Aimex), Idacir Perachi, manter aberto o canal de negociação com o Governo é fundamental para destravar o setor, que é responsável por 77% de toda produção de madeira da região Norte. "O resultado desta reunião foi ótimo. Tenho esperança de que as coisas vão melhorar a partir de agora", afirmou.

Com informações da Secom

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará