Seminário recomendou políticas de fortalecimento

Discussão de propostas encerram seminário

 

A utilização de espécies oleaginosas nativas da Amazônia na recuperação de áreas degradadas, a definição de uma política estadual de extração e de produção de óleos de espécies florestais nativas e a criação de programas voltados às famílias tradicionais que vivem do cultivo e extração de óleos oriundos de espécies nativas foi discutido em seminário na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

 

 

A temática central do Seminário foi o ‘O potencial das espécies oleaginosas nativas e suas alternativas socioeconômicas, ambientais e tecnológicas para o fortalecimento do desenvolvimento econômico dos povos tradicionais’, realizado de 13 a 14 de agosto, no auditório da Sema.

 

O debate foi considerado satisfatório para Edna Marajoara, Assessora dos Povos Tradicionais, que coordenou o evento. Se levadas adiante, as propostas irão “contribuir na promoção do reflorestamento de áreas modificadas, seu aproveitamento sustentável de florestas, redução do aquecimento global, geração de emprego e renda para os Povos Tradicionais (indígenas, quilombolas e comunidades ribeirinhas)”, disse Edna.

 

O evento aconteceu num momento em que está sendo discutido, a nível nacional, o uso de recursos naturais renováveis como ferramenta de sustentabilidade.

 

O Seminário foi uma realização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, por meio da Assessoria de Povos Tradicionais, Secretaria de Estado de Governo (Segov), e teve a presença de pesquisadores, técnicos do governo, lideranças comunitárias e representantes de povos tradicionais da ilha do Marajó.

 

Sema/Ascom

Contato: 81159536

               31843332

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará