Dom Eliseu recebe serviços do Mutirão Arco Verde Terra Legal

O município de Dom Eliseu recebe neste final de semana o Mutirão Arco Verde Terra Legal. A abertura oficial ocorreu na manhã desta sexta-feira (17) na Escola Municipal Manuelito de Andrade. Antes, houve o plantio de 50 mudas, no horto municipal, feito por alunos do projeto Escolinha de Futebol da Prefeitura de Dom Eliseu.

A produtora rural Ivaneide Jesus dos Santos, que pretende regularizar seu terreno no município, buscava informações sobre os serviços do mutirão – uma força conjunta dos três poderes em benefício do setor rural, especialmente para os municípios que receberam a Operação Arco de Fogo, em 2008. "Eu criava gado e agora queria um empréstimo para investir na terra, que é produtiva", contou.

A caravana atenderá a população do município nesta sexta-feira (17) e sábado (18), na Escola Manuelito de Andrade, onde haverá palestras, emissão de documentos, orientação sobre cadastro, regularização e financiamento, entre outras ações. Mas, desde a quarta-feira (15) desta semana, encontros entre os organizadores e representantes de classe têm servido para discutir sobre os principais entraves enfrentados pelos agricultores.

Representantes de colônias de pescadores e de pequenos produtores e empregados rurais estiveram entre os que participaram do encontro, que tratou de problemas como a falta de documentação, demarcação de terras, necessidade de benefícios, incentivo a projetos de plantação de goiaba, entre outros. Participaram da reunião os coordenadores estadual e federal da Operação Arco Verde, respectivamente, Nelita Paes e Rogério Guedes, além do vice-prefeito Francisco Manoel de Aquino.

Quinto município a receber o mutirão, do total de 16 que serão contemplados, Dom Eliseu possui cerca de 45 mil habitantes e apresenta bom desenvolvimento nas atividades da pecuária e da cultura de grãos, especialmente a soja e o milho. A fruticultura também mostra bom potencial no município, com destaque para a goiaba, maior produtor da região amazônica.

Nesta quinta-feira (16), representantes das três esferas reuniram-se na Câmara Municipal, onde compareceram mais de 200 pessoas, entre técnicos, especialistas e produtores. A representante do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Heloísa Leal, lembrou que o governo do Estado já iniciou, ano passado, este trabalho de regularização no município.

"Trabalhamos para identificar as áreas federais e estaduais", explicou, acrescentando que foi feita uma varredura ponto a ponto de cada área, trabalho que será agora intensificado com o Arco Verde e também por meio de parceria com a prefeitura, que cederá espaço para um escritório onde o Iterpa continuará cadastrando.

Heloísa Leal falou que 70 famílias já foram cadastradas e tiveram seus lotes georreferenciados em Dom Eliseu. As famílias, que agora estão em fase de titulação no Iterpa, fazem parte do assentamento estadual Alto Bonito e das colônias Santa Maria, Nova Esperança e Rio Verde.

No mutirão, o Iterpa vai promover a palestra "Como fazer sua regularização fundiária". Entre os outros temas que serão abordados, estão o cadastro fiscal, a importância dos recursos hídricos para a agricultura familiar, planejamento e gestão do empreendimento associativista e a política estadual de assistência social.

Luciane Fiuza – Secom

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará