Governo confirma o rompimento de 11 barragens em Altamira

Um relatório parcial, elaborado por técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), confirmou que 11 barragens romperam, provocando inundação em parte da cidade de Altamira, no oeste do Pará. O relatório foi apresentado à imprensa nesta sexta-feira (24), pela secretária de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social, Eutália Barbosa.

Durante a coletiva, foram apresentados números relativos ao atendimento médico e social prestado às vitimas da inundação, que castiga a cidade desde 12 de abril. Participaram do encontro o major Norat, coordenador da Defesa Civil; Bruno Versiani, coordenador de Fiscalização da Sema, e Waldemir Maia, da Regional da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Os técnicos da Sema vistoriaram 19 propriedades, das quais oito tiveram barragens rompidas, totalizando 11 rompimentos. Houve quatro autuações ambientais. O relatório final deve ser concluído até o final do mês. "Dados não oficiais mostram que há cerca de 60 barragens em Altamira. As que fiscalizamos foram feitas pela ação do homem, são barragens artificiais. Algumas ainda representam riscos", afirmou Bruno Versiani.

Essa preocupação também foi manifestada pelo major Norat. "Se as chuvas continuarem, o nível do rio Xingu pode subir e provocar novos alagamentos, em especial no Parque do Açaí, no igarapé Altamira", disse ele.

Números – A secretária Eutália Barbosa confirmou que 130 famílias estão sendo atendidas em abrigos, totalizando 602 pessoas. Já foram entregues 661 cestas básicas, 1.068 colchões e 20 reservatórios de água.

Um levantamento, feito em parceria por Sedes e Companhia de Habitação do Pará (Cohab), detectou que 1.322 famílias foram atingidas pela inundação, num total de 5.527 pessoas. As águas também destruíram 58 casas e danificaram outras 737.

"Estamos trabalhando para que o compromisso da governadora Ana Júlia Carepa de garantir moradia para quem ficou sem casa seja cumprido o mais rápido possível", disse Eutália Barbosa. "Nossos técnicos já visitaram oito áreas, três delas com potencial para receber as moradias", informou Arthur Farias, diretor de Planejamento e Desenvolvimento Habitacional da Cohab.

"A gente acredita que a governadora vai nos ajudar a construir a nossa casa", declarou o agricultor Francisco Serejo Barroso, morador do Independente II, que junto com a esposa e duas filhas menores perdeu tudo e está abrigado no Parque de Exposições. "Nós já recebemos duas cestas básicas, dois colchões, roupas e calçados", contou.

A secretária Eutália Barbosa tranquilizou a população, afirmando na coletiva que não há surtos de doenças de veiculação hídrica, como diarréia.

Na próxima segunda-feira (27) começará a funcionar o hospital de campanha, montado pela Sespa. "Teremos sete médicos e 12 enfermeiros para atender prioritariamente os atingidos pela inundação", disse Waldemir Maia, da Sespa.

Texto: Edir Gillet – Secom

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará