Seminário debate as riquezas do litoral paraense

A região do Salgado paraense é marcada por municípios ricos em recursos hídricos, com uma imensa área de manguezais e atividade pesqueira. Entretanto, problemas resultantes do crescimento das cidades e uso desordenado dos recursos naturais têm causado preocupação.

Para debater a atual situação e o futuro do litoral paraense, a Associação dos Usuários da Reserva Extrativista Mãe Grande Curuçá (Auremag), em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará (Ideflor) realiza a partir desta quinta (23) o seminário “A importância do litoral”, na Escola Maria Heloíza, em Curuçá.

O evento irá reunir representantes de diversos setores da sociedade, entre governo federal, estadual e associações; Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), Secretaria de Estado de Pesca e Aqüicultura (Sepaq), Conselho Nacional de Seringueiros (CNS), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), deputados federais e estaduais, além de lideranças de outros municípios.

Dois temas centrais sobre o litoral paraense devem tornear a discussão nos próximos dias: a implementação dos planos de manejo das Unidades de Conservação do litoral e a possível construção do Porto de Espadarte em Curuçá. “De que forma os planos de manejo e o novo porto poderão ou não trazer benefícios? Os dois temas convergem para o futuro da população que vive nessa região”, afirma Antônio Nascimento, coordenador de Extrativismo do Ideflor.

Para Nascimento, nada mais justo do que aproximar a população do debate sobre esses e outros assuntos, principalmente aqueles que vivem em reservas extrativistas.

Na opinião de Sandra Regina, presidenta da Associação dos Usuários da Resex Mãe do Grande de Curuçá, o evento é um momento ímpar para o desenvolvimento regional. “Um dos nossos objetivos específicos é a criação de um grupo de trabalho interinstitucional e multidisciplinar para enfrentar os desafios colocados para a construção de um equilíbrio nos ecossistemas locais, uma vez que é determinante preservar o meio ambiente e valorizar os conhecimentos das populações tradicionais da região, além de fortalecer a agricultura familiar, o debate sobre o ICMS ecológico e o mercado de carbono”, destaca a gestora.

Os planos de manejo poderão estabelecer normas para o uso dos recursos naturais da região, mas deverão ser combinadas com programas oficiais de sustentabilidade sócio ambiental e econômica. Já o Porto do Espadarte, que poderá ser construído ainda neste semestre, terá como finalidade escoar os produtos vindos do centro Oeste do país para a região Sul. Entretanto, o porto deve passar por dentro da reserva extrativista de Curuçá, o que tem gerado divergências entre governo e trabalhadores.

O Seminário “A importância do litoral” termina nesta sexta-feira (24), com a aprovação de um documento sobre as discussões debatidas no encontro.

Tiago Araújo – Ascom/Ideflor

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará