Projeto transforma futuro do manejo florestal na Amazônia

O manejo florestal na região amazônica está vivendo um momento histórico de mudança de paradigma. A Embrapa Amazônia Oriental (Belém/PA) coordena um projeto inovador – Rede de Biomassa Florestal – que vai gerar o novo modelo a ser seguido nos próximos 30 anos para se manejar floresta natural e plantada.

O coordenador da Rede de Biomassa Florestal, pesquisador Silvio Brienza Júnior, informa que o novo rumo para exploração sistemática e recuperação de áreas degradadas na Amazônia implica a incorporação às atividades florestais de dois pontos principais: manejo baseado em grupos de espécies e reflorestamento.

"Fazer pesquisa e monitorar manejo a partir de grupos de espécies incluindo as que atingem diâmetros menores do que os atualmente previstos em lei é decisivo para otimizar o uso da floresta. E reflorestamento na Amazônia não pode mais ser visto como uma heresia no meio florestal, como era considerado há 30 anos", explica o pesquisador.

Brienza ressalta que o trabalho envolve também conceitos de inovação, determinantes, segundo ele, para que as pesquisas científicas aconteçam em sintonia com as necessidades do usuário.
O projeto prevê também a construção do Portal Florestal do Estado do Pará. O espaço virtual reunirá e disponibilizará na internet informações que, além de comunicarem à sociedade os resultados e atividades do projeto, poderão servir de subsídio para empresários, legisladores e formuladores de políticas públicas.

Texto: Izabel Drulla Brandão (MTb 1084/PR)

Jornalista da Embrapa Amazônia Oriental

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará