Capacitação em Colheita de Sementes é realizada em Altamira

Capacitar os produtores para que colham as sementes nas árvores, valendo-se de meios como o rapel, é um dos principais objetivos do curso de “Capacitação em Colheita de Sementes e Produção de Mudas de Espécies Florestais”, que busca também fomentar o reflorestamento no Estado do Pará. 

O curso irá habilitar agricultores dos Projetos de Assentamento Itapuama 1 e 2, na região do Assurini, no município de Altamira e será realizado de 2 a 4 de fevereiro. O programa é financiado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), com apoio do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor). 

O Ideflor, como coordenador da produção de sementes e mudas, bem como da capacitação de agentes multiplicadores e fornecedores dentro do Programa “Um bilhão de árvores para a Amazônia”, objetiva fazer com que o agricultor possa adquirir viveiros, e assim reflorestar o mais rápido possível. “Com a realização das etapas do curso, o Ideflor estará concretizando, de fato, o Programa ‘Um bilhão de árvores para a Amazônia”, afirma Alexandre Lunelli Gerente Regional. 

O curso busca oferecer capacitação em colheita de frutos/sementes e em técnicas de produção de mudas de espécies arbóreas em diferentes municípios, visando a inserção de pessoas qualificadas na Rede de Banco de Sementes e Viveiros de espécies florestais no Estado do Pará. 

Além disso, pretende-se qualificar os fornecedores para que estes possam distribuir sementes de qualidade. “Esperamos que haja, com o bom fornecimento das sementes, geração de renda para os produtores, através das vendas”, diz Lunelli. 

Reflorestamento – Para ele, uma das inovações do programa é a coleta de sementes ainda nas árvores, usando as técnicas do rapel para garantir melhores resultados aos agricultores. A forma tradicional é colher as sementes no chão, porém, com este tipo de procedimento, elas costumam não germinar, pois quando caem no solo, elas perdem rápido o vigor de germinação e são atacados por predadores.

“O curso vem mostrar, também, como os produtores devem guardar as sementes até a época de venda”, frisa.

Para a engenheira agrônoma Alessandra Freitas, uma das instrutoras do programa, o curso ajudará a melhorar a qualidade de vida dos agricultores. “Com o programa, estaremos contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos produtores e fortalecendo programas de reflorestamento em áreas estratégicas para o setor florestal”, conclui. 

Freitas ministrará cursos teóricos, como: ecologia florestal, fenologia florestal, fatores que afetam a produção de sementes; extração, secagem e beneficiamento; germinação e quebra de dormência; morfologia de frutos e sementes, entre outros. 

Já as aulas práticas ficaram por conta do assistente de recursos ambientais do Instituto Florestal de São Paulo, Dirceu de Souza e do Técnico Florestal Roberto Miranda do Espírito Santo, que ministrarão sobre “métodos de escalada: alpinismo e espora com cinto de segurança” e “Viveiro e produção de mudas”, respectivamente. 

Texto: Ascom – Ideflor

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará