Governador em exercício defende mudança na política mineral

O governador em exercício do Pará, Odair Corrêa, defendeu uma reformulação na política mineral no Brasil, durante a cerimômia de abertura do I Congresso de Mineração da Amazônia e Exposição Internacional de Mineração – Exposibram, nesta segunda-feira (10), no Hangar-Centro de Convenções & Feiras da Amazônia, em Belém. Pela primeira vez, o Pará é sede da Exposibram que reúne as maiores marcas da indústria mineral do país 

“É preciso definir rumos, criar incentivos responsáveis, compor conselhos qualificados e criar o fundo estadual voltados a defender e amparar os interesses do Estado e do povo paraense”, disse ele. “Acredito que, se juntarmos forças e sabedoria, haveremos de criar condições políticas que possibilitem a revisão da Constituição”. 

Odair Corrêa foi enfático no discurso, quando falou dos resultados da mineração para a economia e seus reflexos na vida social dos paraenses. Ele disse que, em 2007, a produção mineral alcançou a cifra de R$ 8 bilhões, 14% maior que no ano anterior, e há tendência de crescimento.

“Não obstante valores tão expressivos, o Estado ainda comporta os mais baixos índices de desenvolvimento da federação, o que transparece uma forte concentração de renda e uma baixa internalização de benefícios oriundos da atividade mineral”, discorreu o governador interino. 

O pronunciamento do governador em exercício contemplou ainda a defesa de uma atividade mineral que leve em consideração os municípios onde grandes empresas estão instaladas. Para ele, é preciso socializar os lucros econômicos capaz de retirar milhões de pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza no Estado. 

“É imperativo que os projetos minerais a serem aprovados tenham, em seu bojo, de forma proporcional, ações sócio-econômicas que enxerguem os municípios em torno daquele onde está encravada a riqueza mineral, com o intuito de ampliar os efeitos positivos do empreendimento”, defendeu Odair Corrêa. 

Exposibram – Pela primeira vez, o Pará é sede da Exposição Internacional de Mineração (Exposibram), que acontece paralelo ao I Congresso de Mineração da Amazônia, no Hangar. O evento será realizado até quinta-feira (13) e reúne as maiores marcas da indústria mineral do país. 

Realizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), com apoio da Federação das Indústrias do Pará e governo do Estado, a Exposibram conta com 127 expositores e representação de mais de 30 empresas que atuam no Pará, como a Vale e a Alcoa. A exposição é um espaço para apresentar produtos, com possibilidade de negócios. 

Segundo os organizadores do encontro, hoje, a indústria extrativa mineral responde por 25% do total das exportações da região. Juntos, Pará e Maranhão respondem por 26% da exportação da indústria extrativa e de transformação mineral da Amazônia Legal. Em 2007, a produção mineral brasileira correspondeu a R$ 46 bilhões. 

Em 2008, deverá registrar nova ascensão e poderá chegar a R$ 54 bilhões, aumento de 18% devido à elevação de produção e forte reajuste no preço dos minérios. 

Evandro Santos – Secom

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará