Qualidade ambiental dos municípios é tema de evento

 Iniciar o processo de construção de indicadores que ajudem a entender a situação ambiental dos municípios paraenses é a proposta do seminário que será realizado nos dias 11 e 12 de novembro, no auditório ‘Alexandre Rodrigues’ do Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG).

O evento reunirá pesquisadores e técnicos de diversas instituições, que discutirão temas centrais para a questão ambiental no estado, a fim de definir métodos e arranjos institucionais necessários para a avaliação da qualidade do meio ambiente. 

Nas discussões sobre os municípios, serão abordados aspectos como a biodiversidade amazônica, o desflorestamento, as mudanças climáticas, o saneamento básico, a realidade socioeconômica e a capacidade institucional dos governos locais.

A programação prevê ainda a apresentação dos modelos de gestão e regulamentação ambiental das cidades de Paragominas, Rondon do Pará e Lucas do Rio Verde, do Mato Grosso. Especialistas do Rio de Janeiro e Paraná devem expor as experiências de programas estaduais de avaliação da qualidade do meio ambiente. 

O seminário “Indicadores da qualidade ambiental dos municípios paraenses” será realizado pela parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Idesp), o MPEG, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), a Embrapa Amazônia Oriental e as Universidades Federal e Estadual do Pará (UFPA e Uepa, respectivamente). 

Resultados – De acordo com Jonas Bastos Veiga, coordenador do evento e diretor de Pesquisa e Estudos Ambientais do Idesp, o intercâmbio entre pesquisadores e a articulação interinstitucional marcam o início do processo que ajudará a entender o estado da arte do meio ambiente nas diversas regiões de integração do Pará. 

Até meados de 2009, um atlas ambiental deve ser lançado para subsidiar os gestores públicos nos processos de formulação e gestão de políticas e programas voltados à contenção do desmatamento, à conservação da biodiversidade e ao uso sustentável dos recursos naturais. 

“Temos menos informações sobre a qualidade ambiental do que em relação ao desempenho econômico e social do estado. De modo geral, esperamos inserir o fator ambiental na agenda dos legisladores, gestores e da sociedade”, assegura Jonas Veiga. 

Ele também explicou que o processo de avaliação da situação ambiental dos municípios deve considerar as especificidades do estado. “O Pará tem municípios que apresentam dinâmicas muito diversas. Temos, por exemplo, áreas em que o desflorestamento avançou bastante por conta das atividades agropecuárias, locais com altos índices de migração devido à exploração mineral e casos onde a população sobrevive basicamente de atividades extrativistas e a floresta se mantém pouco alterada”. 

Serviço: O seminário “Indicadores da qualidade ambiental dos municípios paraenses” será realizado nos dias 11 e 12 de Novembro, no auditório Alexandre Rodrigues, no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi.

 

Por José Augusto Rodrigues e Brenda Taketa – Idesp

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará