Ministro do Meio Ambiente anuncia verba para desenvolvimento da Amazônia

O novo ministro de Meio Ambiente Carlos Minc anunciou hoje no Fórum de governadores da Amazônia Legal, que o MMA já assegurou a doação dos primeiros US$ 100 milhões, por parte do governo da Noruega, para composição do Fundo de Proteção e Conservação da Amazônia Brasileira. Ele ainda avisou que outras empresas demonstraram interesse em fazer doações. Minc também anunciou 136 milhões para estruturação, apoio e fomento das atividades extrativistas.

Minc assumiu compromisso de trabalhar com todos os governadores e prefeitos o Programa Amazônia Sustentável (PAS), independente de partido. O ministro chegou hoje da Alemanha, onde esteve participando da Convenção da Biodiversidade (COP 9). Lá, Minc defendeu o etanol como um combustível mais limpo. Ele também garantiu para 2010 todos os benefícios da biodiversidade. “É fundamental para a Amazônia e Brasil que em 2010 esteja instalado o ABS, sistema que trará benefício para todo o país”, salientou.

O ministro também defendeu a descentralização do licenciamento para os estados e municípios. Segundo ele, é imprescindível garantir até 2009 o zoneamento ecológico-econômico de toda a região para garantir avanços. Minc também comentou sobre a Medida Provisória que foi anunciada ontem e que estipula preços mínimos para os produtos florestais advindos do extrativismo. A mesma MP garante R$ 1 bilhão para recompor áreas de reservas legais na Amazônia.

Minc assegurou apoio à regularização ambiental dos estados e municípios. Segundo ele, 30% dos recursos serão garantidos pelo MMA para quem quiser se regularizar. Estes recursos são fundamentalmente para saneamento ambiental. “O MMA é e será baseado no desenvolvimento sustentável da região com medidas pactuadas com os estados e municípios”, garantiu.

Ana Júlia

A governadora Ana Júlia Carepa falou que pela primeira vez o governo do Pará está saudando problemas históricos. Foi o maior volume de recursos na história: em saneamento, abastecimento etc… O estado vai criar condições para o reflorestamento com o Programa Um bilhão de árvores para a Amazônia. A manutenção da floresta é importante porque entendemos esta importância. Ela disse não ter dúvidas de que estão construindo um Pará do povo.

Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva salientou o momento histórico que vive o país, sem inflação. É um momento de sorte, segundo ele. “Estamos num processo de reparação no país, para acabar com as palafitas e favelas. É um processo de recuperação com os moradores que nunca tiveram luz em casa. Não precisamos fazer apologia da pobreza, mas dizer que os pobres têm que mudar de vida”, comentou.

Lula disse que agradece a Deus pelo momento que o Brasil vive hoje, porque não devem nada ao FMI e ainda tem 200 bilhões em reservas. O presidente também disse que a crise de alimentos é solução para plantar mais. “Se depender de nós, ninguém vai passar fome no mundo. Temos que ver a crise como oportunidade para o país dar salto de qualidade e produtividade”, desafiou. “Queremos fazer que o mundo usufrua da nossa tecnologia em alimentação, por isso abrimos Embrapa em outros países”, comemorou.

Lula disse que não sossegará enquanto a Vale não construir uma siderúrgica no Pará, para desenvolver minério e ajudar o estado a ser mais industrializado. O presidente ainda comentou que o maior legado que tem a deixar para o povo é dizer que cada um de nós pode ser presidente da república ou outro cargo político. Ele também assumiu que vai evitar que a inflação volte para o Brasil. “Nosso papel é manter equilíbrio no que o povo ganha e no que ele pode comprar”, finalizou.

 

Juliana Leal Cardoso

Ascom Sema

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade
Travessa Lomas Valentinas, 2717, CEP: 66093-677. Belém/Pará